Brasília – O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, recebeu de diferentes entidades nessa quarta-feira (11) um manifesto que defende uma reforma tributária ampla sobre bens e serviços no País. Entre os signatários, estão a CNI (Confederação Nacional da Indústria), os secretários estaduais de Fazenda e associações de auditores.

A visita ocorreu na mesma tarde em que a Câmara dos Deputados se preparava para votar o projeto de lei que altera o Imposto de Renda, parte da reforma fatiada planejada pelo ministro Paulo Guedes (Economia) e que, no fim da tarde, não tinha mais perspectiva de ser apreciada pelos deputados.

Guedes diz não ser contra uma reforma ampla que englobe estados e municípios, como querem as entidades, mas tem se posicionado de forma contrária às discussões neste momento. Isso porque elas acabam tendo como resultado a proposta de criação de um fundo multibilionário bancado pela União para compensar governadores e prefeitos por eventuais perdas com as mudanças.

Além disso, ele tem dito que a alíquota a ser aplicada pelo imposto resultante das fusões de impostos seria muito alta, o que prejudicaria principalmente comércio e serviços.