A chuva de estrelas cadentes virá dos meteoros draconídeos e atingirá seu pico noite de 8 de outubro. Pra ver, procure uma região escura e olhe para o leste a partir da meia noite.

No dia 21, outro espetáculo: a chuva de meteoros Orionídeos, quando a Terra viaja através da poeira do cometa Halley.

De acordo com a NASA, a chuva de meteoros será uma das mais belas do ano, graças ao brilho e à velocidade dos meteoros. Viajando a cerca de 148 mil milhas por hora na atmosfera da Terra, esses meteoros são super rápidos e se tornam mais brilhantes.

E meteoros rápidos podem até mesmo se tornar bolas de fogo, que a NASA descreve como “explosões prolongadas de luz”.  Durante o pico será possível ver de 10 a 15 meteoros por hora.

Pelo terceiro mês consecutivo, Marte e Lua ficam lado a lado no céu, numa conjunção muito próxima, já observada desde sexta-feira (2).

A conjunção entre a lua e Marte é visível no Chile e Argentina, onde é possível observar uma ocultação, com a Lua passando exatamente em frente ao planeta vermelho.

Na próxima terça, 13 de outubro, o planeta Marte atinge sua posição mais favorável para observação. Com magnitude -2,5 é facilmente identificável pelo intenso brilho vermelho, e é o astro mais brilhante do céu noturno depois da Lua.

Fonte: Sky at Night