Maior competição estudantil do País, os Jogos Escolares da Juventude, fase nacional dos Jogos Escolares, mudaram o formato de disputa desde a edição passada, quando adotou pela primeira vez etapas regionais, que em 2018 foram realizadas em Natal (RN), Manaus (AM) e Joinville (SC) e definiram os classificados do basquete, futsal, handebol e vôlei para a fase nacional. Para 2019, Cascavel pleiteia ser uma das sedes regionais da competição.

Para isso, na última segunda-feira, na Acic (Associação Comercial e Industrial de Cascavel), lideranças ligadas ao esporte cascavelense participaram de uma videoconferência com representantes do COB, que desde 2005 organiza dos Jogos Escolares da Juventude.

A carta de encargos foi discutida na videoconferência, que detalhou, elucidou dúvidas e apresentou o custo de R$ 250 mil para o Município assumir ao apresentar a carta de interesse ao COB. Segundo os organizadores dos Jogos, o evento está previsto para a semana do feriado de 7 de setembro.

Concorrência

A Fase Regional 3 dos Jogos Escolares da Juventude será disputada entre delegações de Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás e Mato Grosso. No ano passado, a cidade de Joinville (SC) foi sede dessa regional e voltou a se candidatar para este ano. Poços de Caldas (MG) também manifestou interesse. Há um prazo para inscrição e seleção e Cascavel tem poucos dias para apresentar a carta.

No encontro

O encontro na Acic contou com a presença dos vereadores Carlinhos Oliveira, Pedro Sampaio e Serginho Ribeiro, da Comissão de Cultura e Esporte da Câmara de Vereadores; do presidente e do diretor de Políticas de Esportes e Lazer da Fundação Municipal de Cultura e Esporte, Léo Mion e Daniel Scalco, respectivamente; e do diretor de Esporte e Lazer da Secretaria de Cultura e Esporte, Cleber Fonseca, que responde pela pasta durante as férias do secretário Ricardo Bulgarelli. A reunião também contou com representantes de entidades e instituições de Cascavel que representam os empresários e comerciantes da rede hoteleira e de restaurantes.

Estado paga a conta

Presidente da Comissão de Esporte e Cultura da Câmara de Vereadores, vereador Carlinhos Oliveira acredita que “vale a pena sediar o evento, uma vez que as delegações utilizarão hospedagem, alimentação, combustíveis e serviços, gerando divisas para a cidade num momento de recessão do País, além de divulgar a cidade”. Carlinhos manifestou-se a favor lembrando que este custo (R$ 250 mil) pode ter a contribuição do Estado do Paraná.