Bolsa sobe e dólar volta a R$ 5,71 com abertura de EUA e nova vacina

Foi a maior alta diária desde 6 de abril

Rio de Janeiro – A abertura gradual da economia nos Estados Unidos e em diversos países do mundo somada à expectativa de uma vacina contra o coronavírus que tem resultados promissores animaram o mercado financeiro nessa segunda-feira. No Brasil, as boas notícias vindas do exterior fizeram o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), fechar em alta de 4,69%, a 81.194 pontos. Foi a maior alta diária desde 6 de abril. No câmbio, o dólar caiu 2,09%, e voltou a R$ 5,71.

Quando usar máscara de pano

Nos Estados Unidos, o Dow Jones fechou em alta de 3,85%, assim como S&P (+3,15%) e Nasdaq (+2,44%). O dia começou no terreno positivo com as notícias de que a Apple está reabrindo suas lojas e a indústria automobilística está retomando a produção de veículos.

O otimismo ampliou o fôlego após a empresa de biotecnologia americana Moderna divulgar que sua vacina experimental contra covid-19 mostrou potencial de sucesso. Segundo a companhia, os testes indicaram a produção de anticorpos neutralizadores do vírus semelhantes àqueles encontrados em pacientes recuperados do coronavírus. Isso fez as ações da companhia dispararem 25% na Bolsa dos EUA.

No cenário interno, analistas destacaram as informações de que o ministro da Economia, Paulo Guedes, não cogita deixar o governo. Isso trouxe alívio aos investidores no País.

A pesquisa semanal Focus, realizada pelo Banco Central, apontou que a expectativa é de que o PIB (Produto Interno Bruto) encolha 5,12% em 2020. Uma semana antes, a perspectiva era de uma queda de 4,11%. Para 2021, a estimativa continua sendo de crescimento de 3,20%

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

5 × dois =