Somente entre 2020 e 2021, o Banco do Empreendedor de Foz do Iguaçu liberou mais de R$ 16 milhões em créditos para ajudar microempreendedores e se tornou o polo do Estado, entre os municípios acima de 200 mil habitantes, que mais cedeu aval aos pequenos negócios.

Grande parte do montante é fruto de parcerias ente a Prefeitura de Foz e a Fomento Paraná, que realizou programas como o Foz Juro Zero, onde o município pagou a taxa de juros das parcelas para empreendedores de diversos setores. A iniciativa auxiliou a recuperação econômica devido aos prejuízos da pandemia – somente neste período, foram quase R$ 12 milhões e mais de 2.400 empreendedores assistidos.

O prefeito Chico Brasileiro salienta que, desde o início da gestão, foi constatada a necessidade de reforçar os trabalhos do Banco, por esse motivo a busca de parcerias cada vez mais constantes com o Governo do Estado.

“Essa ajuda que foi ampliada durante a pandemia só foi possível por conta de um trabalho prévio, realizado durante os últimos anos para termos um polo forte, que ajuda o pequeno empreendedor não apenas financeiramente, mas em qualquer outro tipo de dúvida. Nossa equipe é muito competente e os dados comprovam isso”, elogia Chico.

“Temos cada vez mais conversas e tratativas com o Governo para que Foz siga nessa crescente da retomada econômica. Diversos setores já foram atendidos e os ganhos são cada vez mais significativos”, pontua o secretário de Desenvolvimento Comercial, Industrial e Agropecuário, João Pereira.

Auxílio na recuperação

Lional Banel possui há 20 anos, no Jardim América, uma loja que atende como bazar e também faz conserto de roupas. Com a pandemia, viu os negócios caírem mais de 50%, algo que nunca havia acontecido antes.

Para não fechar as portas, recorreu ao Banco, onde foi atendido e pôde manter as contas em dia. “Com o crédito consegui arcar com as despesas que continuaram vindo, como as contas de água, luz e telefone, isso sem contar o pagamento de boletos bancários que atrasaram, contas em geral e mercado. Foi a minha salvação”.

“A pandemia afetou muita gente e essas linhas de crédito foram a salvação para dezenas de empreendedores. Muitos negócios conseguiram ficar em pé com os auxílios e a nossa demanda foi muito ampliada. Temos muito a celebrar dentro desta temática”, destaca Volnei Lampert, coordenador do Banco em Foz do Iguaçu.

Presente em Foz há 20 anos

Os trabalhos do Banco do Empreendedor em Foz do Iguaçu começaram em 2001, ainda como Banco Social. Todo o desenvolvimento foi visto de perto por Volnei Lampert, presente desde a criação do programa em Foz e hoje coordenador. Em 20 anos, já foram mais de R$ 43 milhões de financiamentos realizados para quase 4.000 empreendimentos.

“Foz do Iguaçu é uma das cidades que são referências no Paraná, principalmente por conta do apoio e atenção que a Prefeitura nos dá. A cidade toda está de parabéns pela equipe que se dedica a um trabalho tão importante. Temos a liderança do Volnei que está conosco desde o inicio, com colaboradores dispostos a fazer o possível para ajudar”, conta o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves.