Banco Central prevê inflação de 6,5% este ano, no teto da meta

inflação.jpg

brde1

BRASÍLIA – O Banco Central acredita que vai cumprir a meta de inflação neste ano, segundo o relatório trimestral de inflação divulgado nesta quinta-feira. A expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado oficialmente no sistema de metas, passou de 7,3% para 6,5% ? exatamente no teto do limite estabelecido. Para o ano que vem, a estimativa saiu de 4,4% para 4,4%.

Por outro lado, a autarquia reduziu a previsão para o crescimento do ano que vem. A aposta caiu de 1,3% para 0,8%. Já para este ano, a expectativa de recessão passou de 3,3% para 3,4%.

Um dia antes da divulgação do relatório, o IBGE divulgou que o IPCA-15 ficou em 6,58% em 2016. E indicou que a inflação deve ficar em torno do teto da meta para este ano, que é de 6,5%. O objetivo central é de 4,5%, mas há uma margem de tolerância de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo. No ano que vem, esse espaço de erro será menor: 1,5 ponto percentual.

Com a queda da inflação, o Comitê de Política Monetária (Copom) já sinalizou que acelerará o corte da taxa básica de juros (Selic) no mês que vem. A diretoria do BC tem sido pressionada para agir rapidamente dado o fraco desempenho da economia e sua retardada reação. O Banco Central até cogitou fazer isso na última reunião do Copom, mas decidiu esperar até janeiro.

Atualmente, a Selic está em 13,75% ao ano. A dúvida do mercado é se o próximo corte será de 0,5 ponto percentual ou de 0,75 ponto percentual. A aprovação das primeiras reformas fiscais e a piora nas perspectivas de recuperação da atividade econômica já justificariam uma intensificação do ritmo de flexibilização dos juros.

(Aguarde mais informações)

Unimed

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação