Toledo – Com o desenvolvimento de Toledo a operação de voos comerciais passou de sonho para necessidade econômica e prioritária. Um polo de pesquisas, agronegócio e universitário, ilhado pela disfunção da logística aérea. Discutido e fomentado há décadas, o processo terá que esperar mais um pouco. Mesmo com a redução de impostos do combustível, programa do governo do Estado e com o esforço de líderes e entidades locais, a previsão de operação regular em 4 junho se frustrou e o novo prazo agora é setembro.

Em nota, a Empresa Azul Linhas Aéreas informou que a data inicial não será cumprida, pois a base de operações não está com todas as adequações realizadas, ações de responsabilidade da Prefeitura de Toledo.

Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, de Inovação e Turismo, secretário Paulo Victor, afirma que a obra possui plenas condições de adequação até junho, primeira previsão para a implantação de voos regulares. “Estamos cumprindo à risca todo o planejamento executado. Tudo seguindo cronograma sendo que o recapeamento está 70% executado, a pintura contratada e a cerca em execução com 50% dos trabalhos concluídos”, avalia.

Sobre a nova previsão, Paulo Victor afirma que a empresa não manifestou comunicado oficial sobre isso. “Não temos data oficial para primeiro voo comercial, existe ainda etapa burocrática de documentação da homologação que precisa ser cumprida, essa será a segunda fase do processo”, esclarece.

Expansão

Na mesma ocasião que informou o adiamento das operações em Toledo, a Azul anunciou QUE irá disponibilizar cerca de 1.200 voos extras para 36 aeroportos brasileiros.