Arábia Saudita prevê déficit menor em 2017, de US$ 52,8 bi

57191965_Saudi Defense Minister and Deputy Crown Prince Mohammed bin Salman speaks during a pres.jpg

Unimed

DUBAI – A Arábia Saudita informou nesta quinta-feira que espera queda do déficit orçamentário no próximo ano, mesmo com aumento de gastos. O país anunciou detalhes de um plano a longo prazo de revisão econômica para reduzir a dependência do petróleo. O governo espera que o rombo no Orçamento saudita caia em 2017 para 198 bilhões de riyals (US$ 52,8 bilhões) ou 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do reino, disse o Ministério da Fazenda em comunicado.

petroleo_2212

Este ano, o déficit saudita chega a 297 bilhões de riyals (US$ 79 bilhões), equivalente a 11,5% do PIB. Em 2015, foi de 362 bilhões de riyals.

O maior exportador de petróleo do mundo tem enfrentado uma crise fiscal desde a forte desvalorização do preço do petróleo, e implementou este ano uma série de medidas impopulares de austeridade ? incluindo a redução de subsídios de água e energia, o aumento de taxas para visto e o corte de salários líquidos de funcionários públicos. Em abril, o vice-príncipe da Coroa Mohammed bin Salman anunciou o chamado ?Visão Saudita 2030?, plano para acabar com a dependência econômica do petróleo.

O preços do petróleo sofreram forte queda nos últimos dois anos. De uma máxima superior a US$ 100 por barril em meados de 2014, em janeiro deste ano a commodity chegou valores abaixo de US$ 30.

O governo planeja alcançar um orçamento equilibrado até 2020 com o aumento de receitas de indústrias não-petroleiras para 50%. O déficit de 2016 é 9% inferior à estimativa original do governo, enquanto o Fundo Monetário Internacional (FMI) previa que o rombo de 2017 corresponderia a 9,5% do PIB saudita. O governo espera gastar 890 bilhões de riyals no próximo ano ? uma alta de 8% com relação às despesas de 2016.

RECEITA COM PETRÓLEO

Segundo as previsões oficiais, a Arábia Saudita espera um salto de até 46% nas receitas de petróleo no próximo ano após o país e outras nações produtoras de petróleo, incluindo a Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep), fecharem acordo para conter a produção da commodity, o que ajudaria a estabilizar os preços globais.

O governo espera arrecadar 480 bilhões de riyals (US$ 128 bilhões) com as vendas de petróleo em 2017, ante 329 bilhões este ano, informou o Ministério das Finanças. Já as receitas não-petroleiras avançarão 6,5% para 212 bilhões de riyals.

Unimed

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação