201607081041172161_RTS.jpg VARSÓVIA ? O presidente americano, Barack Obama, decidiu abreviar sua viagem
pela Europa para ir a Dallas, no Texas, após a cidade ter sido palco do ataque com o maior número de vítimas policiais desde o 11 de setembro de 2001. Na quinta-feira, um franco-atirador matou cinco policiais e feriu outros sete em um protesto contra as recentes mortes de dois homens negros por agentes brancos em Louisiana e Dallas. dallas0807

Embora a volta de Obama estivesse prevista para a segunda-feira, o presidente voltará no domingo à noite, segundo o porta-voz da Casa Branca, John Earnest. Ele está agora em Varsóvia, na Polônia, para uma cúpula da OTAN.

Nesta sexta-feira, o presidente condenou o ataque ?calculado e desprezível? em Dallas:

? Ainda não conhecemos todos os fatos. O que sabemos é que aconteceu um ataque perverso, calculado e desprezível contra as forças de segurança ? disse Obama em Varsóvia, ao lado dos presidentes do Conselho Europeu e da Comissão Europeia, Donald Tusk e Jean-Claude Juncker, antes de uma reunião de cúpula da Otan.

A Casa Branca descartou que organizações terroristas tenham participado do ataque que matou cinco policiais em Dallas. O franco-atiradorconduzido por Micah Johnson, de 25 anos. Antes de ser abatido na ação, o criminoso afirmou que não era afiliado a nenhum grupo e que queria apenas matar policiais brancos.

? Os investigadores já descartaram publicamente a possibilidade que o indivíduo que conduziu este terrível ato de violência tivesse qualquer conexão com organizações terroristas nos Estados Unidos ou no mundo. Eu não acredito que haja uma conexão a qualquer tipo de conspiração terrorista? disse o porta-voz do governo americano, John Earnest, em um pronunciamento de Varsóvia.

Os tiroteios, a apenas alguns quarteirões do Dealey Plaza, onde o ex-presidente John F. Kennedy foi assassinado em 1963, transformaram a manifestação em uma cena de carnificina e de caos, dando uma nova dimensão à tensão racial nos Estados Unidos.

Ao final do protesto, o franco-atirador começou os disparos ? inicialmente foi relatado que havia dois. A polícia classificou o ataque de “incidente terrorista”, que deixou ainda outras nove pessoas feridas ? entre elas sete agentes.

Obama condena ataque contra policiais em Dallas

O protesto em Dallas era mais uma das demonstrações de indignação que aumentaram ao longo da semana, primeiro com o assassinato na terça-feira de Alton Sterling, de 37 anos, atingido por tiros de policiais em um estacionamento de um centro comercial na cidade de Baton Rouge, Louisiana.

Na quinta-feira, a revolta se espalhou pelas ruas das principais cidades americanas depois da morte em Minnesota de outro cidadão negro, Philando Castile, que foi alvo de tiros da polícia dentro de seu carro.

As mortes de Sterling e Castile foram filmadas por testemunhas e os vídeos mostram que eles não representavam nenhum risco evidente para os agentes.

Na quinta-feira, Obama disse que estas mortes são o sintoma dos desafios do sistema de justiça criminal dos EUA e da disparidade racial que se mostra ano após ano.

Obama defendeu uma reforma da polícia e, neste sentido, defendeu as propostas de reformas apresentadas no ano passado pela Casa Branca, afirmando que é o momento de aplicar as medidas.