AGRONEGÓCIO

Abate de frangos cai e de bovinos e suínos cresce no 1º trimestre

09 de junho de 2022 às 07:59
Palotina - 28-10-2020 -Suinos - Suinocultura em Palotina -Foto : Jonathan Campos / AEN
Publicidade

 

Rio de Janeiro – Apesar da crise enfrentada pelos suinocultores do Paraná, os dados da produção animal no Brasil indicam que no primeiro trimestre deste ano o abate de frangos recuou 1,7%, enquanto o de bovinos aumentou 5,5% e o de suínos teve alta de 7,2%, na comparação com o mesmo período de 2021. As informações são da Estatística da Produção Pecuária, divulgada ontem (8) pelo IBGE.

 

Bovinos e frangos

De janeiro a março, foram abatidas um total de 6,96 milhões de cabeças de bovinos em estabelecimentos com inspeção sanitária, o que representa 361,75 mil cabeças de bovinos a mais. A quantidade representa crescimento de 5,5% na comparação com o primeiro trimestre de 2021 e estabilidade frente ao quarto trimestre de 2021. O Mato Grosso continua na primeira posição, com 16,1% da participação nacional

A produção de frangos teve redução no período analisado, com queda de 1,7% em relação ao mesmo período de 2021 e de 0,2% na comparação com o quarto trimestre de 2021. O total abatido chegou a 1,55 bilhão de cabeças, 27,25 milhões a menos do que no primeiro trimestre de 2021.

A liderança do setor de frangos segue com o Paraná, que tem 33,5% da participação nacional.

 

Suínos

O primeiro trimestre de 2022 registrou os melhores resultados de abate suíno para esses meses da série histórica, iniciada em 1997, com 13,64 milhões de cabeças, um aumento de 7,2% em relação ao mesmo período de 2021. Na comparação trimestral, o aumento foi de 1,5%.

A liderança continua com Santa Catarina, com 28,1% da produção nacional, seguido por Paraná (20,5%) e Rio Grande do Sul (17,4%).

 

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE