O gás de cozinha registrou alta cerca de cinco vezes a mais do que a inflação em 2021 e o preço médio de um botijão de 13kg chega a R$96. A alta, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP) chega a 30% no acumulado deste ano, já a inflação do período é de 5,67%.

Pensando em ajudar o consumidor a economizar na hora de preparar a refeição, o Centro Europeu – tradicional escola de gastronomia de Curitiba – buscou orientações com especialistas. Confira algumas dicas do chef Vavo Krieck:

1 – FAÇA A REVISÃO DO SEU FOGÃO – Não espere que o seu equipamento apresente um defeito para chamar o técnico. “O certo é fazer a manutenção preventiva todos os anos, na qual ajustes e regulagens específicos são feitos nos queimadores, evitando gasto desnecessário. 60% do calor produzido pelo queimador é dissipado na cozinha”, alertou Krieck.

2 – ESCOLHA BEM SEUS UTENSÍLIOS – As panelas de fundo triplo ou de ferro fundido ajudam a economizar o consumo de gás. “Elas retém mais calor e permitem que a chama seja reduzida quando começa a ferver, sem perder a temperatura, o que não é possível com as panelas mais finas”.

3 – A PANELA DE PRESSÃO É SUA ALIADA – Se você tem medo de utilizar as panelas de pressão é hora de aprender a trabalhar com esse utensílio. “A pressão faz com que as panelas atinjam temperaturas de mais de 120ºC, cozinhando os alimentos de forma mais rápida e auxiliando na economia do gás. As outras panelas não passam dos 100ºC”, explica o chef.

4 – ORGANIZAÇÃO – De acordo com o professor do Centro Europeu ao manter a organização na cozinha e com os ingredientes que serão usados sempre à mão, o tempo das panelas no fogo tende a reduzir. O termo em francês para “tudo no seu lugar”, na cozinha, é mise en place.

5 – COOKTOP POR INDUÇÃO – O equipamento é mais econômico e permite controle da intensidade do calor, segurança e praticidade. O aquecimento eletromagnético faz com que o cooktop não aqueça, mas sim a panela. Além disso, ele cozinha os alimentos muito mais rápido, mas para utilizá-lo é necessário ter panelas adequadas.
Lembre-se que além de economizar financeiramente, estamos adotando ações mais sustentáveis ao meio ambiente, quando economizamos GLP (Gás liquefeito de petróleo).

De acordo com o diretor acadêmico e responsável pelos cursos de Gastronomia da escola, Rogério Gobbi, os temas relacionados com a sustentabilidade devem ser incorporados no dia a dia das cozinhas. “Quem trabalha em cozinhas seja de forma profissional ou mesmo por hobby, deve estar atento em causar o menor impacto possível à natureza, evitando perdas de alimentos e produzindo com economia de recursos,”, conta Rogério.

DICA DE RECEITA PARA DIAS QUENTES QUE NÃO VAI AO FOGO

Confira a receita de Salada Colorida, prato do chef Vavo Krieck, professor do Centro Europeu, que não precisa de cozimento e é ideal para os dias quentes.

INGREDIENTES
• ½ Unidade Repolho Roxo Pequeno – Cortado Finamente
• ½ Unidade Repolho Branco – Cortado Finamente
• ½ Xícara de Damascos – Cortados em Quadradinhos
• 2 Unidades de Pimenta Cambuci (de cheiro) – Sem Sementes, Fatiada Finamente • ½ Unidade de Cebola Roxa Média – Sem Casca, Fatiada Finamente
• ½ Unidade de Pimentão Vermelho – Sem Sementes, em Cubinhos
• ½ Unidade de Pimentão Verde – Sem Sementes, em Cubinhos
• ½ Unidade de Pimentão Amarelo – Sem Sementes, em Cubinhos
• ½ Xícara de Castanha de Cajú – Torrada e Salgada
• 2 Potes de Iogurte Natural – Não Adoçado
• 2 Colheres de Sopa de Vinagre de Maçã
• Sal
• Pimenta-do-Reino
• 1 Colher de Sopa de Mostarda
• 2 Colheres de Sopa de Orégano ou Chimichurri
• 1 Colher de Sopa de Mel

MODO DE PREPARO

Em uma tigela grande, que comporte todos os ingredientes, preferencialmente com fundo arredondado, adicione o iogurte, mostarda, orégano ou chimichurri, sal e o vinagre e bata levemente com um fouet (batedor de arame).
Em seguida, adicione sobre o molho, todos os demais ingredientes. Misture bem. Prove o sal e pimenta, e faça ajustes.