Em Curitiba

Volvo testa biarticulado elétrico

4ª Etapa - Moto 1000 GP

Volvo Biarticulado Elétrico. Curitiba, 19/05/2024. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Volvo
Volvo Biarticulado Elétrico. Curitiba, 19/05/2024. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Volvo

Atividade inédita tem início em Curitiba (PR), onde fica a sede das operações da marca no continente. Em seguida, veículos irão circular também em Bogotá (Colômbia) e na Cidade do México. Com zero emissões de CO2, os biarticulados elétricos são veículos ideais para metrópoles que têm ou pretendem implantar sistemas BRT (Bus Rapid Transit) e desejam avançar ainda mais na eficiência e descarbonização do transporte de passageiros.
O chassi biarticulado é o maior veículo do portfólio de elétricos da Volvo no mundo, condição que lhe confere alta eficiência no transporte de massa. “Um BRT com estes veículos é capaz de transportar a mesma quantidade de passageiros do que um sistema de metrô, mas com custos de implantação e operação infinitamente menores e também com zero emissões”, assegura André Marques, presidente da Volvo Buses América Latina. No momento de seu lançamento comercial, o chassi será produzido no complexo industrial da Volvo em Curitiba e poderá ser exportado para diversos países onde há cidades com BRT.

Eficiência consagrada
O biarticulado elétrico mantém as tradicionais características de seu antecessor a diesel, que o consolidaram como a melhor solução de transporte de massa. Utiliza o mesmo quadro de chassi, eixos e suspensão, extremamente robustos e com alta capacidade. Mas vem agora com o trem de força elétrico do Grupo Volvo, o mesmo utilizado nos caminhões, ônibus e equipamentos de construção da marca. No biarticulado elétrico o motor fica na parte central, entre o primeiro e o segundo eixos, tracionando. Com isso, assegura melhor distribuição de carga por eixo e viabiliza carrocerias com salão completamente livre para os passageiros do veículo, uma vez que o avançado e inteligente design garantiu que todos os componentes elétricos e mecânicos fossem instalados abaixo do piso. Em carrocerias de 28 metros a capacidade de transporte é de até 250 passageiros. “Estamos conciliando a base mecânica consagrada há anos em nossos biarticulados a diesel com a mais moderna tecnologia de ônibus elétricos Volvo”, afirma Alexandre Selski, diretor de eletromobilidade ônibus da Volvo na América Latina. Com larga experiência, a marca tem mais de 6.000 ônibus elétricos e híbridos em circulação no mundo.

Alta capacidade
O biarticulado elétrico está equipado com dois motores elétricos de 200kW cada, totalizando 400kW, o equivalente a 540cv. Possui também uma caixa de câmbio automatizada de duas velocidades, baseada na consagrada transmissão Volvo I-Shift. Este afinado conjunto garante melhor capacidade de vencer aclives, muito menos vibração dos componentes e, consequentemente, melhor performance e maior vida útil do ônibus, proporcionando um menor custo de manutenção.
O veículo pode ser equipado com até oito baterias, com 720 kWh de capacidade total, o que lhe confere autonomia de até 250 quilômetros. O tempo de recarga total varia entre 2 e 4 horas, dependendo do tipo e potência da estação de carregamento. Além disso, poderá ter a opção de carregador no teto da carroceria para recargas rápidas em terminais BRT, ao longo da jornada diária. A melhor solução de carregamento é geralmente decidida pelo órgão gestor das cidades. “A Volvo conseguiu equilibrar a autonomia necessária neste tipo de operação, com a mesma quantidade de passageiros, mesma configuração de portas das atuais estações de embarque e desembarque, além do desempenho e confiabilidade dos consagrados biarticulados a diesel. É um grande benefício para os operadores de transporte, com a vantagem de zero emissões e zero ruído em benefício da população das cidades”, explica Gilcarlo Prosdócimo, gerente de engenharia de vendas da Volvo Buses.

Evolução do BRT
A eletrificação do biarticulado é uma nova contribuição da Volvo para a evolução dos sistemas BRT, com foco na eliminação de emissões de CO2 no transporte de massa. “Desde o início, o biarticulado Volvo sempre trouxe alta eficiência, transportando mais passageiros com menos emissões. Agora, com veículos 100% elétricos, vamos zerar completamente os gases de efeito estufa”, argumenta Alexandre Selski.
O conceito de ônibus biarticulados foi introduzido pela Volvo há mais de 30 anos, como evolução dos tradicionais articulados. Desde então, dezenas de cidades na América Latina vêm se valendo da combinação desses dois tipos de veículos para transportar grandes quantidades de passageiros com rapidez e segurança, com expressivo ganho em qualidade de vida nos deslocamentos diários. Atualmente, há articulados e biarticulados Volvo operando em cidades como Curitiba, Bogotá, Rio de Janeiro, Goiânia, Santo Domingo, San Salvador, Quito, Cidade do México, Cidade da Guatemala, Guayaquil, Manaus, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Cali, Bucaramanga e Santiago.

Descarbonização
A Volvo tem a meta global de reduzir em 50% os gases de efeito estufa em seus veículos até 2030 e em 100% até 2040. Com zero emissões, os ônibus elétricos têm uma contribuição importante nessa jornada. “Com a validação da versão elétrica do nosso biarticulado estamos fortalecendo nosso compromisso com soluções para um transporte 100% mais seguro, eficiente e livre de CO2”, finaliza André Marques.