POLICIAL

Polícia prende casal colombiano ligado a furtos de aparelhos de endoscopia

Ambos foram presos pela polícia utilizando documentos falsos, em nomes de pessoas de nacionalidade venezuelana

Entre os índices que puxaram a queda está a redução no número de homicídios dolosos, que passou de 2.025 casos em 2022 para 1.837 em 2023, variação de -9,3%
Entre os índices que puxaram a queda está a redução no número de homicídios dolosos, que passou de 2.025 casos em 2022 para 1.837 em 2023, variação de -9,3%

A Polícia Civil do Paraná (PCPR), com apoio das polícias civis de Minas Gerais (PCMG) e Santa Catarina (PCSC), prendeu um casal ligado a uma associação criminosa responsável por furtar equipamentos de endoscopia em diversas cidades do Brasil. A ação aconteceu na última sexta-feira (5), em Curitiba. O indivíduo capturado estava foragido com alerta vermelho da Interpol por um furto a joalheria avaliado em R$ 9 milhões.

Os dois são colombianos e eram os mentores e executores dos delitos. Ambos foram presos utilizando documentos falsos, em nomes de pessoas de nacionalidade venezuelana. A dupla foi capturada após troca de informações entre as polícias. 

A PCPR ainda verificou que o grupo planejava cometer as ações criminosas em Curitiba.

As investigações, que também contaram com apoio da Polícia Federal, apontam que os suspeitos são autores de furtos ocorridos nas cidades de Canoas e Pelotas, no Rio Grande do Sul, Uberlândia, em Minas Gerais, Itabuna e Vitória da Conquista, na Bahia e em Joinville, em Santa Catarina, gerando um prejuízo de aproximadamente R$ 2 milhões em cada local em que furtaram os aparelhos.

Durante a prisão, os policiais civis paranaenses ainda apreenderam, dentro de um imóvel, materiais utilizados para adentrarem nas clínicas e hospitais em que cometiam os crimes.

INTERPOL – O homem preso estava foragido com alerta vermelho na Interpol por participar de um furto a joalheria dentro de um shopping em Fortaleza, ocorrido no ano de 2021, que resultou em prejuízo de R$ 9 milhões.

Ele apresentava-se nos locais sempre utilizando documentos falsos, possuindo passagens policiais em vários estados do Brasil.

Fonte: AEN