Vídeo mostra momento de atentado com caminhão em Berlim

C0T_nZPUsAAC_DH.jpg

brde2

BERLIM ? Um vídeo divulgado pelo tabloide “Bild” mostra o momento em que o caminhão supostamente dirigido pelo tunisiano Anis Amri invade o mercado de Natal em Berlim e provoca o atentado que matou 12 pessoas na capital alemã, na segunda-feira.

Nas imagens feitas, um carro passa pela praça Breitscheid, onde o caminhão investiria contra a feira. Pouco após, a carreta passa pela esquerda, em direção às decorações natalinas. Pessoas saem correndo a partir da invasão.

As imagens podem ser vistas no site do diário.

Enquanto a polícia alemã caça o tunisiano suspeito do ataque terrorista que matou 12 pessoas na segunda-feira em Berlim, a chanceler federal do país, Angela Merkel, afirmou que a esperança das autoridades é prender em breve o responsável pelo atentado. berlim

Em entrevista coletiva, a chefe de governo ressaltou que as autoridades estão conscientes há muito tempo de que o país é alvo de ameaças terroristas. As declarações vêm em resposta às críticas sobre as forças de segurança nacional, que sofrem pressão por não terem conseguido evitar o ataque, reivindicado pelo Estado Islâmico (EI). O constrangimento aumentou para a polícia quando veio à tona que o suspeito já era investigado por terrorismo anteriormente.

Na mesma ocasião, o ministro do Interior, Thomas de Maizière, confirmou que as impressões digitais do suspeito tunisiano, identificado como Anis Amri, foram encontradas na porta do caminhão usado no ataque. A informação havia sido adiantada pela imprensa local mais cedo.

A Alemanha ofereceu na quarta-feira uma recompensa de até 100 mil euros em troca de informações que levem à prisão do suspeito. A identidade de Amri foi descoberta depois que investigadores encontraram uma carteira com seus documentos no caminhão usado no ataque. O imigrante chegou ao país no ano passado e estava no radar das autoridades alemãs desde junho. O seu pedido de abrigo foi rejeitado e o governo estava tentando deportá-lo depois de saber que estava planejando um ?ato grave de subversão violenta?, segundo um alto funcionário do governo. Ele acrescentou que o tunisiano tinha ligações com extremistas islâmicos. Autoridades disseram ainda que ele já usou várias identidades falsas, que incluíam seis nomes e três nacionalidades diferentes (tunisiana, egípcia e libanesa).

A revelação de que o suspeito já era vigiado pelas autoridades alemãs, no entanto, aprofunda ainda mais os desdobramentos políticos do atentado em Berlim, apontando para falhas no sistema de deportação da Alemanha e provocando questionamentos sobre o acolhimento humanitário de refugiados empreendido pela chanceler federal do país, Angela Merkel. Só no ano passado, cerca de um milhão de imigrantes pediram asilo em solo alemão.Supeito atentado Berlim.jpg

JK

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação