Uso indevido de objetos no ouvido pode causar perfuração do tímpano

Deficiência auditiva de um dos lados e episódios repetitivos de vazamento de líquido do ouvido: esses podem ser os principais sintomas da perfuração do tímpano, membrana fina e sensível que separa o ouvido interno do externo, e que quando se encontra perfurada causa diminuição da capacidade auditiva.

Guilherme Trevizan, otorrinolaringologista do Hospital Otorrinos Curitiba e Membro Efetivo da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial, lembra que o uso de hastes flexíveis, como cotonetes, e demais objetos podem causar o problema. “As principais causas de perfuração da membrana do tímpano são as infecções do ouvido médio, também conhecidas como otites médias e os traumas. Dentre os traumas ganham relevância o uso das hastes flexíveis ou o uso de outros corpos estranhos como grampos, palitos ou similares. É importante sempre ressaltar que não se deve nunca utilizar tais objetos no interior do ouvido, seja para simplesmente coçar ou limpar. Mesmo as hastes flexíveis devem ter seu uso reduzido e só usadas na parte externa do ouvido”, aconselha.

Geralmente quem tem o tímpano perfurado pode ter uma deficiência auditiva, mas não uma surdez completa. Isso ocorre porque, segundo o especialista, a membrana do tímpano é uma estrutura importante na transmissão/condução do som do meio externo ao interior do corpo. “Se ela estiver perfurada, o mecanismo dessa transmissão ficará bastante comprometido. Fazendo uma analogia, o tímpano funciona como um tambor de música e a vibração dele é que transmite o som. Se o tímpano estiver perfurado tudo ocorre como se um tambor estiver furado, ou seja, a vibração não será adequada, diminuindo a audição”.

Tratamento

A boa notícia é que a maioria das perfurações do tímpano se cicatriza sozinha, sem deixar sequelas, desde que o paciente siga as recomendações (principalmente não molhar) e o tratamento médico. No entanto, lembra o otorrinolaringologista Guilherme Trevizan, há alguns casos em que o tímpano não se regenera sozinho, e é necessária a cirurgia. “Se ele não tiver se regenerado em cerca de 90 dias, provavelmente não mais o fará sem uma intervenção cirúrgica. Nessas situações, o tratamento definitivo da perfuração timpânica é sua reconstrução cirúrgica”, avalia.

Em alguns casos, no entanto, não é permitido o procedimento, tais como em pacientes muito idosos ou de pouca idade, ou pacientes com doenças graves que impeçam a cirurgia. “Nessas situações orientamos o tratamento clínico com gotas otológicas, que fazem parar o ‘vazamento’, e com aparelhos auditivos que melhoram a audição. Vale relembrar: em geral, o tímpano perfurado é adequadamente corrigido com cirurgia, que geralmente demanda apenas internação no dia, e o paciente tem alta no mesmo dia. Após 48 horas é removido o curativo e o paciente pode voltar a trabalhar entre cinco a sete dias, necessitando, no entanto, evitar esforços físicos e umidade no ouvido por cerca de um a dois meses”.

Cuidado com soluções caseiras

Muita gente usa soluções caseiras para tentar amenizar ou até mesmo resolver o problema. Mas segundo o otorrino Guilherme Trevizan, isso é totalmente reprovado. “Quando a membrana timpânica está perfurada, há uma comunicação anormal entre o meio externo e o interior do corpo. E, assim, estruturas muito importantes de dentro do ouvido como o ossículos, a cóclea e o labirinto ficam expostas. Desse modo, qualquer líquido (não só as soluções caseiras, mas a própria água, mesmo do chuveiro), se entrar no canal auditivo, também terá acesso ao interior através da perfuração timpânica, podendo ocasionar lesão àquelas estruturas nobres”, acrescenta Guilherme.

Apenas alguns tipos de medicação podem ser usados nos casos de perfuração timpânica e certamente nenhum tipo de solução caseira ou água.



Fale com a Redação

catorze − sete =

2 comentário s

  1. Poliana Responder

    Boa tarde, aparti de qual idade o Dr realiza a cirugia do tímpano? Minha filha tem 3/6meses e está a 1 ano como tímpano perfurado.

    1. Silmara Santos Responder

      Boa tarde, para saber mais sobre o assunto, você pode consultar um otorrinolaringologista ou um pediatra, ele te ajudará a resolver o problema.