Evento contou apresentações, minicurso, oficinas e palestra

O XVII SEU (Seminário de Extensão da Unioeste) foi realizado na última segunda-feira (22) no câmpus de Cascavel. O evento tem como objetivo central discutir, atualizar, formar e transformar as concepções de extensão universitária para que a formação de discentes, docentes e agentes universitários possa ser voltada para a ação conjunta com a comunidade na qual está inserida, tornando as competências dos extensionistas de alto padrão para que possam levar o melhor da Universidade para o campo de atuação, seja qual ele for.

A coordenadora local do SEU, Janete Ritter destaca que “a relação de toda a sociedade ao entorno de uma universidade se dá a partir da extensão universitária. Assim desejamos estreitar esses laços, entre a comunidade local e a universidade”.

O SEU contou nesta edição com várias apresentações divididas em dois dias de evento: 256 comunicações orais, 106 pôsteres, 23 oficinas, 10 minicursos, 3 mesas redondas e uma palestra, realizada após a abertura do seminário.

O diretor do câmpus de Cascavel, Alexandre Webber, exaltou a luta dos envolvidos no SEU para a realização do evento. “Parabenizo a todos os organizadores e envolvidos no evento, pois em um ano de tantas dificuldades, em que tivemos inclusive que alterar as datas do SEU, a Universidade mostra o quanto ela é grande e batalha, deixando as dificuldades de lado e supera as suas expectativas. Em momentos sombrios em que buscam fazer a desqualificação da universidade pública, é importante divulgar o que fazemos e para quem fazemos. A universidade pública não apenas forma, ela transforma.”

Já a pró-reitora de extensão, Sandra Regina Belotto, ressaltou a importância do SEU para o desenvolvimento da extensão universitária.

“Pensamos esse evento há um bom tempo e a cada ano é um novo desafio. Este ano falamos sobre o papel transformador da extensão. Entendemos que a universidade não se faz somente por meio do ensino e pesquisa, por isso precisamos do tripé envolvendo também a extensão, pois tudo o que desenvolvemos dentro da universidade não cria tanto valor se não der retorno à sociedade. Precisamos fazer o nosso papel e devolver aquilo que é investido em nós”.

O vice-reitor da Unioeste, Moacir Piffer, destacou a importância da extensão na universidade. “A extensão para mim é o destaque fundamental, porque é o ponto da transformação, do desenrolar do desenvolvimento humano da universidade. A extensão é responsável por aproximar a universidade da sociedade e das empresas”.

O reitor da Unioeste, Paulo Sérgio Wolff, também exaltou a extensão, e destacou o crescimento da Unioeste, mesmo em um ano de dificuldades. “Quero parabenizar os temas abordados no SEU, e colocar a extensão como um ponto diferencial na Unioeste, pois é um destaque no crescimento nacional da Universidade. O crescimento da Unioeste se passa por pelas etapas desde a graduação, passando pela pós-graduação até a extensão, e é isso que faz a diferença em uma universidade”. O ex pró-reitor de Extensão, Rosalvo Schultz foi citado pela sua importância no desenvolvimento do SEU.

Universidade Sem Fronteira

Na terça-feira (21) ocorreu mesa redonda com a coordenadora do USF (Universidade Sem Fronteira), Sandra Cristina Ferreira, e bolsistas do USF da Unioeste. A temática foi o Papel (trans)formador da Universidade sem Fronteiras na formação do ponto de vista dos acadêmicos.

"A importância do USF no Paraná tem sido algo que é visivel a toda a sociedade e a comunidade acadêmica. Por meio dos projetos temos visto a transformação social vinda das ações, as quais os acadêmicos vão a campo e conseguem ali relacionar o seu conhecimento teórico com a prática e a troca de conhecimentos com a comunidade”, ressalta Sandra. A coordenadora também visitou um dos projetos do Universidade Sem Fronteiras, na cidade de Lindoeste.