Los Angeles – A arena The Forum, em Los Angeles (EUA), receberá neste sábado (29) uma edição do UFC que deverá épica, a de número 232. O duelo pelo título dos meio-pesados entre o estadunidense Jon Jones e o sueco Alexander Gustafsson já faz parte da história do MMA e o novo capítulo entre os dois é aguardado pelos fãs.

Como se não bastassem a volta de Jon Jones após longo gancho por doping – lutou pela última vez em 29 de julho de 2017 – e a polêmica em razão de um novo exame ter encontrado resquícios de turinabol em seu organismo – o que fez a luta mudar de Las Vegas para Los Angeles a menos de uma semana do combate -, o adversário é o mesma da eleita a melhor luta do ano de 2013.

Talvez venha daí o esforço do presidente Dana White para que a dupla se encontrasse no retorno de Jones e para que um evento inteiro fosse transferido de cidade, não um combate cancelado ou um lutador substituído. Os torcedores, dirigentes e lutadores querem a repetição daquilo que ocorreu em 21 de setembro de 2013.

No UFC 165, em Toronto, os dois protagonizaram uma das maiores lutas da história do evento. Jones manteve o cinturão após cinco rounds sangrentos. Venceu por pontos – decisão unânime -, mas foi vaiado. Apanhou muito, levou sufoco e claramente viu de perto a possibilidade de deixar o domínio da categoria. Aquela noite fez Gustafsson ser respeitado no mundo do MMA e visto como um dos grandes da divisão.

Desde então, espera-se a revanche. Alguns, inclusive, já se empolgam com a possibilidade de uma trilogia, digna dos grandes protagonistas da franquia. Gustafsson chega para esta luta com 18 vitórias e quatro derrotas, enquanto Jones acumula 22 triunfos, um revés e uma luta sem resultado.

 

Duelo brasileiro

Outra luta de destaque no UFC 232 é a entre as brasileiras Cris Cyborg e Amanda Nunes, que, na penúltima luta da noite, disputarão o cinturão do peso pena (até 66 kg). É a primeira vez que a disputa será entre duas brasileiras, o que desde o início gerou muita polêmica, mas promete ser algo positivo para a modalidade. Tanto que o chefão Dana White avalia a luta como a maior da história do MMA feminino. “Sim [é a maior luta de MMA feminino da história]. Até porque é uma luta entre as mulheres mais cascas-grossas do planeta, a campeã mundial dos galos contra a campeã mundial dos penas, duas das mulheres mais duronas do planeta, veremos o que acontece”, avaliou White. A curitibana Cyborg é atual campeã dos penas (até 66 kg) e baiana Nunes é a atual campeã do peso galo (até 61,2 kg).