201607081112124971.jpg

BRASÍLIA – Ao discursar nesta sexta-feira, a empresários presentes em um evento na Confederação Nacional da Indústria (CNI), o presidente interino Michel Temer sugeriu que os industriais deem preferência a brasileiros que foram estudar no exterior pelo programa Ciência sem Fronteiras. Segundo ele, pelo programa ? criado pelo governo anterior ? estudantes graduados e pós-graduados viajam a outros países, com bolsa de estudos, para aprenderem os grandes avanços tecnológicos.

CNI_0807

? Tenho observado uma certa falha nesse Programa, porque muitos e muitos vão ao exterior e quando voltam tendo em vista, convenhamos, uma situação dramática que vivemos no país com mais de 11 milhões de desempregados, eles voltam para cá e não conseguem emprego. Tendo em vista o momento circunstancial, um momento episódico, que, se Deus quiser, nós vamos superar em um prazo razoável, pelo menos pensamos desta maneira. Mas, evidentemente, nas suas empresas e empresas outras que forem conectadas com os senhores, se puderem dar preferência muitas vezes àqueles que se formaram no exterior porque estes, queremos ou não, talvez venham bem formados, com informações tecnológicas que auferiram no exterior ? disse Temer.

Ele defendeu uma interação entre aqueles que vão estudar fora, trazem conhecimentos e possam aplicá-los no Brasil. Caso contrário, alertou, eles voltam para o exterior ou, dependendo do caso, permanecem nos países onde estão, diante da falta de perspectivas. Por outro lado, pediu que trabalhadores de todas as classes sociais sejam tratados com consideração. As politicas públicas de emprego, afirmou, devem levar em conta todos os setores.

? Você tem gente que tem boa posição, tem bens, outros médios e outros pobres e alguns na extrema pobreza. Por isso que eu tenho dito com muita frequência que quem governa tem que olhar todos os setores. Você não é governante de um setor do país, mas você é governante de todo o país. E, por isso, as políticas públicas têm que voltar-se para todos esses setores. Mas eu tenho dito sempre, com muita frequência, às vezes me sinto repetitivo, mas a ladainha ela pega exatamente porque se repete. Embora seja uma espécie de ladainha, eu tenho dito o seguinte, que o primeiro direito social é exatamente o direito ao emprego ? disse.

Segundo Temer, para ter emprego, é preciso ter “prestigiamento da iniciativa privada. Enfatizou que o primeiro direito social é o direito ao emprego.

? Não há mais nada indigno, meus senhores e minhas senhoras, do que o sujeito desempregado. Eu encontro desempregados nas minhas andanças por aí, e desempregadas, que estão, digamos assim, sentindo-se excluídos da cidadania, em uma situação de absoluta indignidade, o que é incompatível com o texto constitucional.