Startups de acadêmicos e egressos do Centro FAG estão no Radar da Inovação

FAG - Photo Freela e Hackathonline foram selecionados para a segunda fase do Programa Municipal de Inovação

 

Quando usar máscara de pano

Entre as 30 startups selecionadas pelo Programa Radar da Inovação da Prefeitura de Cascavel, através da Fundetec, em parceria com o Sebrae e a Acic Labs, estão os projetos Photo Freela e Hackathonline. Ambos idealizados por acadêmicos e egressos do Centro FAG.

O Photo Freela foi a equipe ganhadora do Startup Garage 2019 promovido pela FAG e pelo Sebrae. O projeto é tocado atualmente pela egressa de Fotografia Renata Wieczorek, pela ex-aluna Bel Caetano e pelo egresso de Tecnologia de Informação da antiga Fasul Paulo Lenz Júnior.

O objetivo da startup é conectar profissionais fotógrafos com freelancers para atender eventos em todo o País. A plataforma facilita o contato e garante credibilidade dos profissionais, mediante portfólio e avaliação dos usuários.

Por exemplo, um fotógrafo é contratado para realizar a cobertura de um casamento em determinada cidade, no entanto, não conhece nenhum profissional que preste serviço naquele local. Ele pode acessar a plataforma e verificar se há algum fotógrafo disponível para ajudá-lo com o trabalho.

Além disso, também será possível analisar como são as fotos e se o estilo está de acordo com o que procura, antes de contratá-lo.

Renata comemora por conseguir manter a equipe dedicada, mesmo em período de pandemia: “Uma startup nunca está ‘prontinha’. Há sempre a possibilidade de mudar, de inovar e isso a gente faz com conhecimento, com experiência. Estar no Radar da Inovação nos dá mais fôlego para impulsionar um projeto que a gente acredita muito”.

 

O que é Hackathonline

O Hackathonline é um produto que facilita a organização de hackathons, ou seja, maratonas que buscam apresentar soluções inovadoras a algum determinado problema em diversas áreas. A ideia é dos acadêmicos de Engenharia Mecânica Jeferson Eduardo Guido, e Thaís Crivelatti, que cursa Jogos Digitais na modalidade EAD.

De acordo com a definição da equipe, atualmente em um hackathon os organizadores se ocupam em preencher fichas de papéis, listas de chamadas e planilhas com notas e resultados, enquanto os participantes precisam realizar entregas periódicas através do compartilhamento de arquivos. “A nossa ideia busca centralizar todas essas informações dentro de um único produto, facilitando o gerenciamento de um evento desse porte. Uma plataforma híbrida, para hackathons com foco no ‘on-line’, mas que pode ser utilizada para eventos in loco”, ressalta Jeferson.

A proposta é dividir a plataforma em duas partes: uma para o participante, o mentor e o avaliador; com fórum de discussão de ideias que possibilitam ver e realizar entregas, criar equipes, entre outros detalhes. A segunda parte é o dashboard (painel com indicadores) administrativo, no qual a empresa que comprou a licença vai poder ver detalhes sobre cada hackathon que criou. “Vimos que existe essa necessidade na área dos hackathons e ter o suporte do Radar da Inovação vai acelerar a hackathonline e nos abrir um leque de conhecimentos, sobre negócio e sobre o que é ser uma startup fora do papel”, define Jeferson.

Atualmente, os projetos estão na fase de consultoria e capacitação. Em julho os dez times vencedores são anunciados, e então o programa de inovação investirá R$ 300 mil para impulsioná-las.

 

Mosquito da dengue nas áreas externas

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação