Rio de Janeiro – O volume de serviços prestados teve queda de 2,2% em julho ante junho, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nessa sexta-feira. Foi o pior resultado para o mês desde 2011.

Na comparação com julho do ano anterior houve queda de 0,30%. Segundo o IBGE, foi o quinto mês seguido de queda nessa base de comparação. A taxa acumulada pelo volume de serviços prestados no ano ficou negativa em 0,8%, enquanto o volume acumulado em 12 meses registrou perda de 1%.

A perda acumulada no setor ficou em 1% entre maio e julho, informou o gerente da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, Rodrigo Lobo. Isso significa que o nível do volume de serviços prestados está 1% abaixo do que estava antes da greve dos caminhoneiros, em maio. Lobo chamou atenção para a volatilidade. “O volume cai em maio, sobe em junho, devolve em julho”, afirmou o pesquisador.

Em julho, o nível do volume de serviços prestados ficou 12,9% abaixo do pico histórico, registrado em janeiro de 2014, antes da recessão. O nível está pouco acima do mais baixo da série, registrado em maio passado, quando o nível do volume de serviços prestados estava 15% abaixo do pico.

A percepção dos economistas é de que a perda de ímpeto da recuperação da economia vai além dos efeitos da greve dos caminhoneiros. As vendas do varejo corroboram essa ideia, ao mostrarem desempenho mais fraco que o esperado, conforme analistas.