Os resultados do mapeamento cultural que ocorreu em Toledo no final de 2018 terá os resultados apresentados no dia 9 de fevereiro 19h no auditório Acary Oliveira, anexo à prefeitura. O evento compreende o encerramento do projeto Fortalecendo Redes Culturais, uma iniciativa do CEBRAP, financiada pela Unesco e apoiada pelo Ministério da Cultura e Programa CEU das Artes. Em Toledo a Secretaria Municipal da Cultura e o CEU das Artes também apoiaram a realização do projeto.

No evento também será apresentada uma proposta de trabalho que engloba artistas, agentes, grupos e entidades sócio culturais da cidade, para o fortalecimento das redes culturais. Haverá também a entrega de certificados para os formandos das oficinas do projeto que ocorreram em 2018 no CEU das Artes, “Cultura, gestão e projetos culturais” e “Mapeamento Cultural”.

O principal objetivo do mapeamento cultural foi localizar, contatar e entrevistar artistas, agentes, produtores e fazedores de cultura da cidade. Mais de 200 iniciativas culturais foram mapeadas pelos multiplicadores, em variadas regiões do município. Músicos, artistas plásticos, atores, equipamentos públicos, produtores culturais , entre outros, compõe a amostra pesquisada. Os dados coletados foram tabulados e irão mensurar o cenário cultural de Toledo. As principais informações de atuação, localização e contatos dos agentes mapeados ficarão disponíveis no site www.redesculturais.org.br após o termino total do projeto. O site, que também estará linkado ao site da prefeitura, vai ajudar a compartilhar, difundir e a criar de fato uma rede de cultura, onde todos os atores, agentes e interessados possam atuar na articulação entre poder público, iniciativa privada e sociedade civil, buscando incentivo e verba para fomentar cada vez mais a cultura em Toledo.

O projeto Fortalecendo Redes Culturais

O projeto tem duas etapas, a primeira consiste em um programa de formação de atores culturais com o objetivo de ampliar e qualificar as possibilidades de atuação nas cadeias locais de produção cultural, bem como favorecer uma interlocução mais qualificada entre gestores públicos e atores da sociedade civil. O segundo conjunto de atividades envolve o mapeamento e o diagnóstico das principais demandas dos grupos e agentes que atuam nas cadeias de produção cultural da cidade. Esse levantamento é realizado em parceria com 5 multiplicadores locais, participantes dos cursos de formação e escolhidos para pesquisar o cenário cultural da cidade durante 30 dias. Os multiplicadores são contemplados por uma bolsa/auxílio de R$ 1500,00. Toledo está entre as 4 cidades escolhidas para receberem o projeto, que já ocorreu em Embu das Artes (SP e ainda em Macapá (AP) e Serra Talhada (PE), a partir de 2019.

Fortalecendo Redes Culturais é um projeto pensado tendo os equipamentos CEUs das Artes como centralidade, a intensão é colaborar para o fortalecimento da interlocução dos CEUs com as comunidades culturais locais e, portanto, reforçar sua característica de descentralização e adaptação aos contextos locais. Têm como apoiadores o Ministério da Cultura, as estruturas locais de política cultural de cada um dos municípios e a própria gestão dos CEUs.

Em Toledo, o CEU das Artes recebeu os professores Ana Paula do Val e Danilo Oliveira, que realizaram o curso de formação de atores culturais e também a oficina de mapeamento e diagnóstico. As atividades que aconteceram de 05 a 14/11/2018, tiveram total apoio da Secretaria de Cultura de Toledo, representada por Odemilson Elias dos Santos, da Coordenadora de Cursos Mara Oliveira e da equipe de gestão do CEU das Artes. Durante os cursos de formação, Lenon Rodrigues – representante do Ministério da Cultura – também esteve presente para acompanhar as atividades no equipamento cultural, que está localizado no Jardim Europa e foi o primeiro CEU das Artes inaugurado no Brasil.

Os Multiplicadores Culturais

Os responsáveis pelo mapeamento cultural em Toledo foram Cristiane Candido, formada em filosofia e comunicadora; Fernanda Fetter, empresária, arte educadora, dançarina e estudante de educação física; Isabela Olsen, cientista social, arte terapeuta e atriz amadora; Mariana Gouveia, comunicóloga e contadora de histórias; Otávio Augusto, estudante de ciências sociais, músico e artista plástico. Eles contaram ainda com um time de voluntários para realização do mapeamento.