O Governo do Estado, por meio do Instituto Água e Terra (IAT), em conjunto com a empresa Enel Green Power Mourão, fez a 11ª soltura de peixes juvenis nativos no reservatório do Parque Estadual Lago Azul, no Centro-Oeste do Paraná.

A ação, executada pelo Escritório Regional do IAT de Campo Mourão, faz parte do acordo de compensação ambiental firmado pelo Governo do Estado com a empresa responsável pela gestão e operacionalização, desde 2017, do reservatório da Usina Mourão, localizada naquela região.

“O repovoamento das bacias hidrográficas do Paraná é resultado de uma condicionante imposta para a Enel continuar operando a Usina no Lago Azul. É uma parceria que permite constantemente o repovoamento de peixes nativos”, afirmou o chefe do Escritório Regional do IAT em Campo Mourão, Fabiano Viudes.

Ele destaca que as espécimes selecionadas para o repovoamento de peixes nativos no reservatório levaram em conta os impactos da atividade realizada no local.

“Foram pré-definidos dois pontos de soltura com 73 mil indivíduos de seis espécimes distintas, atestadas de sanidade, para compor o conjunto do reservatório”, explicou. A soltura envolveu mil jundiás, mil dourados, mil pintados, dez mil pacus, dez mil piauçus, dez mil curimbatás, e quarenta mil lambaris.

LAGO AZUL – O Parque Estadual Lago Azul é uma zona de transição de florestas, dentro da área da Usina Mourão. A área da Unidade de Conservação tem a dimensão equivalente a quase dois mil campos de futebol e é formada por dois tipos de floresta: a estacional semidecidual, onde predominam espécies como perobas, cedros e ipês; e a floresta ombrófila mista, reino da araucária e espécies a ela associadas.

Foi com a instalação da Usina Hidrelétrica Mourão que o reservatório e todo o seu entorno passaram a constituir-se em um patrimônio natural de grande potencial turístico e de recreação para a região.