O domingo foi de muito trabalho no Seminário Diocesano São José, em Cascavel. Voluntários chegaram logo no início da manhã para preparar a buchada, que será servida hoje, a partir das 18h30 e abre as comemorações para a tradicional Festa do Trabalhador (1º), que tem como tradição o almoço com costelão. Para este ano, 16 toneladas de carne serão assadas. 

Há duas décadas e meia Sergio Grapeggia doa o tempo de descanso para ajudar o seminário nos preparativos da festa. Ele passou o fim de semana fazendo o caldo de carne que vai dar ainda mais sabor ao jantar.  

“É muito gratificante trabalhar em prol do seminário, pois é daqui que sai o futuro sacerdote. Como cristãos, temos que ajudar”, diz. Grapeggia lembra que todos os produtos utilizados no preparo dos alimentos são naturais, sem nenhum tipo de conservante. 

As fichas para o jantar de hoje são vendidas no seminário, a R$ 35. Quem fizer a refeição no local tem direito a acompanhamentos – pão e queijo ralado. Aos que optarem levar para a casa, tem direito apenas à marmita. 

Restaurante de costelão

O padre Jorge Lindner lembra que, além do costelão ao fogo de chão, que serve até 25 pessoas, outra opção à comunidade é o Restaurante de Costelão, com capacidade para mil pessoas. Lá, as fichas são vendidas individualmente a R$ 40, dando direito a costela, maionese, mandioca, arroz e saladas. Os ingressos ainda podem ser adquiridos e estão à venda no seminário.