2016_906130191-img_2042_-1-.jpg_20160429.jpgDurante a inauguração do TransOlimpico neste sábado, o prefeito Eduardo Paes afirmou que tem a intenção de assumir o estádio do Maracanã e fazer uma concessão aos clubes do Flamengo e do Fluminense para que possam gerir o equipamento, hoje administrado pelo consórcio que tenta renegociar os termos do contrato.
– Já conversei com o presidente do Flamengo, não do Fluminense. Ele vibrou com a ideia. Vou conversar com o Peter. Minha ideia é fazer a concessão pra torcida do Flamengo e do Fluminense. Eles devem se organizam para ter uma empresa com capacidade para gerenciar – afirmou Paes, acrescentando que o estádio não pode ficar com as contas no vermelho.

– Não é para dar prejuízo. Na época em que eu estava lá não dava prejuízo e olha que era com a Suderj.

No fim do mês passado, a Maracanã S. A. (empresa que tem a Odebrecht como sócia majoritária) formalizou ao governo do Rio a intenção de rescindir amigavelmente o contrato de concessão que vigora até 2048. Acumulando prejuízo no estádio de R$ 77 milhões em 2014 e R$ 48 milhões em 2015, segundo seus balanços, a Odebrecht desistiu do negócio.

Nos últimos meses, a Maracanã S. A. chegou a conversar com outras empresas que poderiam assumir a concessão, numa negociação que necessita da aprovação e agradaria ao governo estadual. Os números negativos, e condições consideradas adversas (como a proibição de se erguer empreendimentos comerciais no lugar dos vizinhos Célio de Barros e Julio de Lamare), porém, afugentaram até agora eventuais investidores.

? A única opção que o governo descarta é reassumir o estádio, pelo período que seja. Qualquer outra é possível. Nesta semana, a concessionária formalizou o pleito de rescisão. Estamos estudando se ainda é possível um novo aditivo que mantenha a concessão, se o governo promove outra licitação, com ou sem a participação dos clubes. Em todo o período de renegociação do contrato, em nenhum momento a Maracanã S. A. formalizou proposta de passar a concessão a terceiros ? diz Leonardo Espíndola, secretário estadual da Casa Civil.