Cascavel – O delegado-chefe da Polícia Federal em Cascavel, Marco Smith, enviou ofício ao prefeito Leonaldo Paranhos pedindo a prorrogação do prazo para mais dois anos para o início das obras da nova sede da delegacia regional da PF.

Segundo Smith, a medida foi tomada como forma de precaução, uma vez que a Lei Municipal 6.749, que destina o terreno ao Ministério da Justiça para edificação da nova estrutura, tem prazo máximo de dois anos para início da obra. Assim, se elas não começarem até agosto deste ano, tendo em vista que a destinação ocorreu em agosto de 2017, a área de cerca de 10 mil metros quadrados ao lado do terminal rodoviário de Cascavel volta para o Poder Público municipal.

O principal motivo da demora na construção é a falta de empenho dos recursos – na ordem de R$ 20 milhões – para a construção de base.

A principal forma de captação de recursos seria a partir de uma parceria com o Poder Judiciário usando dinheiro bloqueado em contas judiciais capturado do tráfico de drogas, de armas e de munições e ainda de crimes como contrabando.

Ainda de acordo com Smith, essa destinação deverá demorar além do esperado, condicionado por algumas situações que acabaram por retardar o processo, como a transição de governo, inclusive da Superintendência Regional da PF no Paraná.

O delegado também afirma que pode haver recursos públicos injetados na estrutura, mas que isso depende de empenho no Orçamento da União.

Smith acredita que ainda seja possível viabilizar a verba necessária para o início das obras antes de agosto de 2019, mas, para evitar entraves que possam culminar com a devolução do terreno, preferiu pedir a prorrogação ao prefeito.

O pedido precisará ainda ser analisado pela Câmara de Vereadores para receber o aval ou o veto, o que deve ocorrer a partir de fevereiro, quando o Legislativo retorna das férias.