POLICIAL

Ouça o áudio gravado pelo policial militar que matou oito pessoas e tirou a própria vida em Toledo

15 de julho de 2022 às 11:08
Publicidade

A população de Toledo, Céu Azul e região amanheceu com uma trágica notícia nesta sexta-feira (15). O policial militar Fabiano Junior Garcia, de 37 anos, matou oito pessoas e tirou a própria vida.

As primeiras informações dão conta de que o PM tirou a vida de dois dos seus filhos menores de idade em uma localidade da área rural da cidade de Céu Azul. As crianças seriam um menino de aproximadamente 4 anos e uma menina de cerca de 9 anos de idade. As duas crianças foram executadas com tiros a queima roupa na região da cabeça.

Em seguida, ele se dirigiu a Toledo, onde teria feito mais vítimas em pontos distintos da cidade, a princípio no centro e na região da Grande Pioneira.

Ele tirou a vida da própria mãe, de um irmão e de mais uma filha de 12 anos, além da esposa identificada como Kassiele Moreira. A mulher foi morta na residência do casal, localizada na Rua Rui Barbosa, na região central da cidade.

O homem ainda matou mais duas pessoas, que a princípio estavam na rua, mas até o momento não existem informações se eram familiares. Essas mortes aconteceram na Rua Paraíba (Paulista) e outra na Rua Getúlio Vargas (Boa Esperança).

Após a barbárie, ele se suicidou dentro do seu carro, um GM Vectra, de cor branca. O automóvel foi conduzido até o pátio do 19º Batalhão de Polícia Militar de Toledo (19º BPM).

Antes dos fatos, o policial militar gravou um áudio relatando que não aceitava a separação com a esposa, e que estava passando por momentos difíceis psicologicamente e financeiramente.

AUDIO EM TEXTO: “Família, Me desculpa, Me desculpa, mas eu não consegui viver sem a Kassiele, desculpa, ela não estava mais suportando o jeito, que eu ia lidar com ela, não estava dando importância se eu ia me importar com ela, dizer sobre ela não –  e ela deixou a entender que ela não fazia questão de continuar comigo, então é assim, como eu me dediquei toda a minha vida a ela, e eu, dediquei de tudo, eu desisti de pensar em qualquer outra pessoa, pensar em pular a cerca, qualquer coisa, para poder dar atenção e dá valor para ela, e ter momentos de agressão, foi esse maldito jogo, é para mim ir lá buscar válvula de escape, para mim depressão e descansei dela e ela sempre se acostumou com isso e daí agora que tanto faz, então tanto faz, ela não quis ficar comigo, falou de possivelmente que não ia ficar comigo no jeito que eu sou, que eu sou, as coisas do meu jeito. Então assim, eu estava querendo fazer isso mesmo, já não consigo conviver com a situação da minha mãe lá, problema —- Vivo financeiramente f***** e alguém tem que arcar com as despesas lá, então para não deixar peso para ninguém fiz isso”.

Nesta manhã, o coronel Hudson Teixeira, comandante da Polícia Militar do Paraná concedeu coletiva de imprensa e deu mais detalhes sobre o fato.

Colaboração: Portal SOT

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE