As obras de readequação das poltronas no Teatro Municipal de Cascavel ficaram para fevereiro. Com a aprovação do projeto pelo Corpo de Bombeiros, agora a Secretaria de Cultura ajusta o edital de licitação para só depois atrair interessadas no certame. Os valores ainda estão indefinidos e dependem de outra etapa que está em andamento – pesquisa para estabelecer o custo médio.

Como serão alteradas apenas as poltronas – sem mudanças no palco -, o tempo de interdição do local será inferior ao previsto anteriormente, trazendo impactos menores aos eventos culturais. “Acreditamos que em 45 dias as obras sejam concluídas e não mais em 90”, explica o secretário de Cultura, Ricardo Bulgarelli.

O problema

Quando construíram o espaço da plateia, esqueceram de verificar as normas técnicas do espaço adequado entre as poltronas, por isso a necessidade da reforma agora.

A distância entre uma fileira e outra será de 103 centímetros – 28 centímetros a mais que da forma que está. Com isso, o Teatro terá redução de poltronas, passará de 793 para 701 lugares. “A distância definida é um pouco maior que em outros teatros, dando maior comodidadade aos frequentadores”.

Outras obras na gaveta

Quando assumiu a secretaria, ano passado, Ricardo Bulgarelli havia anunciado as intervenções necessárias. Segundo ele, não dava mais para “postergar os problemas”.

Embora as obras das poltronas estejam encaminhadas, outras deverão esperar um pouco mais: sistema acústico, palco e espaços vazios no teatro que nem sequer receberam reboco nas paredes.