Se você quer saber apenas a resposta, o nutricionista Diogo Círico, da Growth Supplements, diz diretamente: "Sim". Há, porém, uma grande complexidade nas diferenças como se consome nutrientes.

A mastigação

Círico conta que a mastigação transforma os alimentos em partículas que, nessa condição, podem ser absorvidas e usadas pelo organismo. "Não adianta ter um plano feito por um nutricionista ou um prato lindo sem uma mastigação correta — exceção feita aos suplementos formados por nutrientes específicos", afirma ele.

No caso de alimentos sólidos, a mastigação é a etapa que prepara os alimentos para receber as enzimas e os hormônios digestivos do corpo. Assim, caso essa etapa não seja feita de forma adequada, todos os processos restantes são prejudicados. Se a comida não estiver bem mastigada, os nutrientes dos alimentos não são extraídos pelo organismo e, pior do que isso, pode ajudar no desenvolvimento de doenças.

Segundo Círico, entre os sintomas mais comuns decorrentes da falta de mastigação, estão a formação de gases, por causa da entrada de ar no corpo durante a mastigação, azia, pela secreção em excesso de sucos digestivos, e até um processo alérgico, quando pedaços inteiros de alimento prejudicam a mucosa intestinal, e com isso, geram uma disbiose (o predomínio de micro-organismos maléficos em relação aos micro-organismos benéficos).

Essa condição altera a proteção gástrica e facilita a passagem de proteínas para circulação, ocasionando alergias alimentares às vezes graves.

"No final das contas, a mastigação insuficiente pode fazer com que sejam absorvidas proteínas e estruturas moleculares maiores, que podem ser reconhecidas como elementos estranhos e desencadear processos alérgicos. Acontece geralmente com as proteínas do soro do leite ou do glúten, por exemplo", explica Círico.

Outra consequência da falta de mastigação correta é a não absorção dos alimentos, porque, como eles precisam ser transformados em partículas menores para serem recebidos pelo material digestivo, quando isso não acontece os nutrientes da comida não são extraídos. "Aquilo que está no seu prato não estará necessariamente no seu organismo. Os nutrientes daquele alimento pouco mastigado serão desperdiçados", completa o nutricionista.

Os líquidos

Situação diferente das refeições líquidas, em que tudo já está previamente digerido e todos os nutrientes são absorvidos. Segundo explica Círico, a diferença básica entre refeição sólida e a líquida é a velocidade com que os nutrientes são enviados para a circulação sanguínea e informam a saciedade.

"Quando ingerimos suplementos, como o Whey Isolado, na grande maioria das vezes, os nutrientes são disponibilizados com mais velocidade para o organismo. Caso haja uma oferta calórica maior do que a necessidade do indivíduo, há mais chances de aumento das taxas de gorduras. É por isso que algumas pessoas imaginam que suplementos engordam, por exemplo", continua Círico,

Portanto, as questões do esvaziamento gástrico e a sensação de fome são decorrente da velocidade com que os alimentos ou líquidos são digeridos. Quanto maior a velocidade com que são consumidos, mais rápido o trato gastrointestinal fica vazio e, assim, mais rápido o indivíduo sente fome. Por isso, quem faz dieta para reduzir peso recebe sempre recomendações para ter o máximo possível de alimentos sólidos na dieta.