Mortes de motociclistas crescem 600% em Cascavel

Das oito vítimas fatais registradas neste ano no trânsito de Cascavel, seis foram motociclistas

Dados da Cettrans mostram que nos quatro primeiros meses de 2020 o número de mortes no trânsito de Cascavel aumentou 60% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram oito mortes contra cinco em 2019. Mas a estatística que mais chama a atenção é que, dessas oito vítimas, seis foram motociclistas, o que representa aumento de 600%, uma vez que no primeiro quadrimestre do ano passado não havia sido registrada morte.

Quando usar máscara de pano

Para a coordenadora de Educação de Trânsito da Cettrans, Luciane Moura, o número mortes está relacionado à maior circulação por conta das medidas de isolamento social, uma vez que três mortes foram registradas em abril. “Acreditamos que houve mais circulação devido ao delivery – que registrou aumento por conta das medidas de isolamento social. Esses são muito vulneráveis, visto que não têm a carcaça de proteção. Mas não propriamente são os causadores de acidentes e óbitos”, afirmou Luciane.

Menos acidentes

Já o número de acidentes (957 no quadrimestre) é 3,14% menor que o ano anterior, quando houve 988 ocorrências.

A coordenadora enfatiza que, com as medidas de prevenção ao coronavírus, que reduziram drasticamente a circulação de veículos, não deveria haver registros. “Não era pra estar acontecendo nenhum acidente. Reduziu o número de veículos, de pessoas circulando, e ainda acidentes ocorrendo. As pessoas veem as vias sem movimento e acabavam abusando e cometendo imprudências, que, inclusive, é o fator principal dos acidentes, e, dentro da imprudência, estão presentes a velocidade e o uso do álcool com a direção. Outro causador de acidentes é o celular. Durante o acidente ou óbito não é possível constatar se o celular estava sendo usado, mas temos claro isso observando o dia a dia e também pelo número de infrações cometidas de motoristas utilizando o aparelho enquanto dirigem. O problema é que as pessoas acham que o acidente não vai acontecer com elas e abusam no trânsito. Avançam preferencial, semáforo, bebem e dirigem, usam celular, não usam cinto e acabam perdendo seu bem mais precioso: a vida”, lamenta Luciane.

Ela afirma que ações educativas são realizadas o ano todo e que a Campanha Maio Amarelo Digital deve trazer mais conscientização aos motoristas.


Leia também:

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

quatro × 1 =