POLICIAL

Maio Amarelo: PRF intensifica as ações com caminhoneiros

10 de maio de 2022 às 08:10
Publicidade

 

Cascavel – Policiais rodoviários federais realizaram na tarde de ontem (9), em frente ao posto policial em Cascavel, uma ação de trânsito com foco nos caminhoneiros. Eles fizeram a entrega do folder que tem como tema “Você precisa ser visto”, que destaca a importância do uso da faixa refletiva e que a falta dela é uma forma de “desrespeitar a vida”.

O inspetor da PRF, Fábio Sobreira, explicou que em todos caminhões com mais de 4.536 quilos, além de ônibus e de micro-ônibus, o uso das faixas é obrigatório. De acordo com dados do sistema policial, as colisões laterais e traseiras representam em média 58% dos acidentes com veículos pesados nas rodovias brasileiras e a maioria deles ocorre no período da noite. Principalmente à noite as faixas são importantes, já que a visibilidade é 95% menor do que durante o dia.

Outro dado bem importante e que está descrito no material impresso, é que sem o uso da faixa refletiva, só é possível ver um caminhão a 20 metros de distância e que para uma frenagem segura, é necessário que o carro esteja no máximo a 40 quilômetros por hora, o que não é comum nas rodovias. Quando o caminhão obedece ao uso da faixa, é possível visualizar o caminhão a uma distância de 200 metros e isso possibilita uma frenagem com uma velocidade de até 120 km/h.

 

Multa grave

Segundo Sobreira, a faixa refletiva é um equipamento de uso obrigatório e caso esteja em más condições ou o caminhão esteja sem o equipamento, o condutor é enquadrado em multa grave, prevista no Artigo 230, inciso 9 e 10, no valor de R$ 195,23. “Por isso estamos aproveitando esse mês voltado as ações de conscientização no trânsito, para trabalhar o tema, na ação que tem cunho educativo e também de fiscalização”, salientou.

A maior parte dos caminhões que apresentam este tipo de problemas, são os caminhões graneleiros, ou seja, aqueles que são utilizados para o transporte de grãos. Outros itens de segurança também estão sendo analisados, entre eles, a amarração correta da carga transportada, já que ela não pode estar solta, e também a questão das antenas, que não podem ser pendentes para a frente do caminhão, mas estarem em formato vertical, sem ultrapassar os limites do caminhão.

 

E o descanso?

Com relação aos caminhoneiros, outra infração que está sendo identificada pelos policiais é em relação ao tempo de direção dos motoristas profissionais, que podem ser de no máximo cinco horas e meia de forma ininterrupta. “Já identificamos casos em que os motoristas estava até 8h, 10h dirigindo direto sem parada, e isso, conseguimos identificar por meio do tacógrafo”, explicou o policial.

Sobreira reforçou ainda que o tacógrafo é obrigatório nos caminhões com que trafegam com mais de 19 toneladas e quando a parada é desrespeitada, além de ser uma infração de trânsito gravíssima, o motorista coloca em risco a vida dele e dos outros condutores. “Recebemos denúncias de motoristas em zigue-zague e muitas vezes é apenas a falta de descanso do condutor”, reforçou o policial, que salientou ainda que dentro das leis o motorista tem mais segurança de trafegar, garantindo também mais tranquilidade aos terceiros.

 

 

Embriaguez ao volante ainda é uma preocupação crescente

 

Outra preocupação bastante grande nas rodovias e que vem crescendo desde o início da pandemia, é a embriaguez ao volante que das ruas da cidade acabam também refletindo nas rodovias. Ricardo Salgueiro, inspetor chefe do Núcleo de Policiamento e Fiscalização da PRF, explicou que este ano foram aplicados um número de testes bem maior do que no mesmo período do ano passado, o que reflete também em uma quantidade bem maior de condutores presos.

Nos primeiros quatro meses de 2022 foram aplicados 7.419 testes, o que resultou em 82 autos de alcoolemia por constatação, 258 por recusa e 40 condutores presos. No ano passado, no mesmo período os policiais aplicaram 354 testes, sendo que 45 foram autos de alcoolemia por constatação e 60 por recusa, além de 29 motoristas presos.

Também houve aumento em relação aos acidentes nos primeiros quatro meses do ano. Este ano foram registrados um total de 212 acidentes de janeiro a abril, sendo que no ano passado ocorreram 187. Acidentes com mortos subiu de 14 para 24, assim como de pessoas mortas ou feridas, que de 52 subiu para 72. Feridos passou de 212 para 221 e óbitos de 18 para 27. Os dados são referentes a autuação da PRF de Cascavel, que administra cerca de 500 quilômetros de rodovia na região.

 

 

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE