Cascavel – Principal cartão-postal da cidade, o Lago Municipal de Cascavel atingiu seu pior nível. O amplo espelho d´água deu lugar a uma extensa área de lama, que avança cada vez mais adentro.

O cenário está ainda mais desolador do que o visto ano passado, quando a severa estiagem obrigou a Sanepar a captar água desse reservatório.

Segundo o governo do Estado, esta é a pior estiagem dos últimos 30 anos e o Paraná vive em situação de emergência hídrica.

Sem chuva e com a vazão dos rios reduzida em cerca de 30%, a Sanepar abriu o registro do lago em 70%. A junção dos fatores fez com que o nível da água no local esteja 1,92 metro abaixo do normal. De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente do Município, esse é pior nível da história, uma vez que, ano passado, o menor nível atingido foi de 1,90 metro abaixo do normal. A recuperação só ocorreu no fim do ano, com um período de maior registro de chuvas.

De acordo com o Município, não é possível estimar o volume de chuva necessário para que o nível da água volte ao normal. É preciso que volte a chover de forma constante para que a recuperação aconteça, o que só deve ocorrer no fim do verão, em fevereiro ou março.

 

Abastecimento

Mesmo com calorão e pouca chuva, a Sanepar informa que ainda não tem previsão para adotar rodízio no abastecimento de água. O consumo segue acima da média para o período, com 72 milhões de litros/dia, padrão do alto verão, mas a companhia segue administrando a situação.

A vazão dos rios está reduzida em cerca de 30%.

Na região, Santa Tereza do Oeste e Lindoeste seguem sendo abastecidos com caminhões-pipa nos fins de semana e em dias de maior consumo.


Leia também: