Marcelo Queiroga visitou o Hospital Municipal Padre Germano Lauck, referência no atendimento à covid-19

Em visita ao Hospital Municipal Padre Germano Lauck, na tarde desta terça-feira (20), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, destacou que a “guerra” contra a pandemia ainda não foi vencida, mas que com o avanço da imunização, muito em breve o Sistema Único de Saúde deverá cuidar dos brasileiros com sequelas da covid-19 e outras doenças.

Cidades como Foz do Iguaçu, que investiram na estrutura do hospital, na contratação de servidores e na capacitação de pessoal sairão da pandemia com um grande legado para esse atendimento. É o caso do hospital municipal, que desde o ano passado passou por quatro reformas e ampliações, e recebeu uma série de equipamentos novos para o atendimento.

“Alguns investiram em hospitais de campanha. Onde estão esses recursos?”, questionou o ministro. “Aqui (no hospital municipal) estamos vendo as obras, os equipamentos e um legado para o SUS”.

Queiroga percorreu os setores que dão suporte ao atendimento de pacientes com covid-19, entre eles as estruturas das novas alas, o laboratório molecular, a sala de tomografia e as Unidades de Terapia Intensiva Covid e geral.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, enfatizou o trabalho que vem sendo realizado pelo município no enfrentamento à Covid-19. ”Esse hospital é um orgulho aos paranaenses. No início da pandemia ele tinha um perfil, e talvez seja um exemplo de maior adequação da nossa estratégia do Paraná, decidindo por não montar hospital de campanha e fazendo um hospital dentro do hospital, realizando o dever de casa com louvor”, ressaltou o secretário.

Beto Preto destacou que a gestão da instituição sempre seguiu as orientações do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde, conseguindo assim atender os paranaenses, os brasileiros que moram no Paraguai e, muitas vezes, os paraguaios.

O prefeito Chico Brasileiro afirmou que o hospital municipal, que hoje é referência no atendimento aos casos de covid, muito em breve será referência no atendimento a muitas outras especialidades, devido a toda revitalização por qual passou. “A saúde é um bem público e é fundamental que a população tenha a segurança de que vai encontrar no sistema municipal de saúde um atendimento de qualidade. É neste sentido que atuamos desde o início, para entregar algo que seja perene para esta e as futuras gerações”.

A secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônymo, aproveitou para ressaltar que com a queda dos casos de covid em função da vacinação, hoje já está sendo possível retomar as cirurgias eletivas e outros serviços que estavam represados em função da pandemia. “Isso é muito importante, porque as pessoas precisam de atendimentos da saúde em outras frentes e, na medida do possível, nós vamos continuar tentando reduzir esse fluxo o mais rápido possível para que a vida volte à normalidade. É isso que todos nós queremos”.

O diretor-presidente do Hospital Municipal Padre Germano Lauck, Sergio Fabriz, falou sobre a transformação da unidade em um complexo hospitalar, oferecendo aos moradores do município e da 9ª Regional de Saúde um atendimento de excelência e humanizado aos pacientes.

“Nós chegamos a ter aqui, no auge da pandemia, 145 ventiladores pulmonares em utilização e mais de 100% de ocupação hospitalar por várias semanas”, recordou Fabriz. Ele mencionou ainda a importância das parcerias do município no enfrentamento à pandemia, com instituições como a Itaipu Binacional, a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), a Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Campus de Foz do Iguaçu (Unioeste), e os governos estadual e federal.

“Com todo apoio da gestão municipal, do Governo do Paraná e Governo Federal, estamos contando uma nova história . É algo que ficará para a população. Não trata-se apenas de novos espaços, novos mobiliários, estamos falando de alas totalmente equipadas com novos aparelhos e novos equipamentos que irão fazer toda a diferença no pós-pandemia, disse Fabriz.