Do Paraná para o Brasil

Nunca antes da história o Paraná esteve tão presente no governo federal. Pelo menos, na área da Justiça. O ex-juiz Sérgio Moro levou uma “penca” de delegados que atuam no Paraná para compor seu superministério no Governo Bolsonaro. Ontem, ele confirmou Maurício Valeixo como diretor-geral da Polícia Federal. Valeixo já foi diretor das áreas de Inteligência e de Combate ao Crime Organizado da instituição e atualmente é superintendente da PF no Paraná. Um dia antes, Moro já havia anunciado a delegada Érika Marena e Rosalvo Franco Ferreira, ex-superintendente regional da PF no Paraná. Erika foi uma das primeiras delegadas a comandar a Lava Jato, tendo inclusive nomeado a operação.

Bomba I

Especula-se ainda que o atual delegado da PF em Foz do Iguaçu, Fabiano Bordignon, assuma a direção-geral do Depen (Departamento Penitenciário Nacional). Bordignon foi diretor da penitenciária em Catanduvas no mesmo período em que Sérgio Moro era juiz corregedor na unidade prisional. A notícia não agradou nadinha os agentes federais, que semana passada enviaram uma carta a Moro pedindo para terem voz na indicação do comando dos presídios.

Bomba II

Como Sérgio Moro ainda não recebeu representantes da Federação Nacional dos Agentes Federais em Execuções Penais, ficou ainda mais quente a pauta da assembleia que reúne a categoria amanhã à noite. Os agentes deverão deliberar quais ações tomarão diante da não nomeação de profissionais da área para o comando dos presídios.

Fim do “checão”

O governador eleito Ratinho Junior (PSD) visitou ontem o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano (PSDB), para discutir a redução do repasse de recursos ao Legislativo. Ratinho quer cortar de 3,1% para 2,5% o percentual repassado, algo em torno de R$ 135 milhões que seriam “economizados”. A medida colocaria fim ao “checão” entregue todos os anos pelos deputados da Mesa Executiva ao governo do Estado como “devolução de sobras” supostamente economizados pelo Legislativo.

Engavetado

A medida já havia sido sugerida pelo primeiro-secretário da Alep no início do mês, mas acabou engavetada pelos seus pares.

E os demais?

Ratinho ainda não ousou avançar sobre os outros poderes e propor medida semelhante: "Essa é uma discussão que tem que ser feita com muita cautela, respeitando os demais poderes, tem que ter um ambiente respeitoso, e obviamente também sem comprometer as contas dos outros poderes: Tribunal de Justiça, Ministério Público, e as contas do Estado. Isso tem que ter uma conversa com muita cautela”. Também não disse que não o fará.

Gestores

A AMP (Associação dos Municípios do Paraná) reunirá os prefeitos e a bancada federal do Paraná durante o Encontro Paranaense de Gestores Municipais dia 7 de dezembro no auditório principal do Recanto Cataratas em Foz do Iguaçu. Eles vão debater a pauta municipalista que tramita no Congresso Nacional. A reunião será conduzida pelo presidente da AMP e prefeito de Coronel Vivida, Frank Schiavini, e terá a presença do presidente da CNM (Confederação Nacional de Municípios), Glademir Aroldi.

Cida na abertura

O encontro será aberto oficialmente às 9h do dia 6 de dezembro com a participação já confirmada da governadora Cida Borghetti. O Encontro Paranaense de Gestores Municipais tem o apoio do governo do Paraná e da CNM e o patrocínio da Itaipu Binacional.

***É grande a expectativa da vinda da governadora Cida Borghetti a Cascavel nesta sexta-feira para prestigiar a confraternização da Amop. ***É que o homenageado principal é seu chefe da Casa Civil, Dilceu Sperafico. ***Na última vez que esteve em Cascavel, dia 8 de novembro, Cida se “despediu” e disse que não viria mais à cidade enquanto governadora.