Ibema – O Centro Cultural Indalício Margotti é uma das obras públicas mais importantes para a comunidade de Ibema. A estrutura abriga os mais diversos eventos e se transforma em um espaço amplo e democrático para as mais diversas formas de expressão.

Um evento especial marcou a inauguração da revitalização do espaço, que ocupa uma das áreas mais nobres e estratégicas da cidade, ao lado da prefeitura e da Câmara de Vereadores.

As obras revitalização do Centro Cultural custaram R$ 136.420,85, recursos próprios da administração municipal.

A obra foi construída na gestão de Adelar Arrosi de 2000 a 2004, inaugurada em 2003, e até então não havia recebido manutenção. O espaço estava deteriorado e feio. Agora, o Centro Cultural volta a marcar época na cidade, devolve eficiência e beleza. Para o prefeito, o espaço retorna ao seu estado de novo e servirá a comunidade de Ibema por muitos anos. “É gratificante poder contribuir com o processo de reestruturação do nosso município, que tantos problemas enfrentou por um inegável período de regressão, em passado recente. Mesmo com situações adversas, conseguimos economizar e já executar obras com recursos próprios, a exemplo dessa”.

Nova obra

E os trabalhos não param. Tanto que mais um trecho de vias urbanas será pavimentado em Ibema. A largada para o início das obras já foi dado. A pavimentação de uma área quadrada de 9.142,85 metros é resultado de convênio recentemente assinado entre a administração municipal e o governo estadual por meio do SFM (Sistema de Financiamento aos Municípios).

Com parte dos recursos liberada pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, a pavimentação vai alcançar as Ruas Lino Beno Lenz (entre Minas Gerais e Goiás) e Bahia (entre Irati e Pato Branco). A empresa vencedora da licitação, a Construtora Liotto Ltda, terá prazo de cinco meses para concluir os trabalhos.

Segundo o prefeito, o valor da obra ficou em R$ 1.122.768,90. A pavimentação em ruas e avenidas traz inúmeras vantagens para as famílias diretamente contempladas. Entre elas estão a redução do pó em períodos de estiagem e o fim de atoleiros em época de chuva intensa. Há também melhorias no aspecto visual da região atingida e valorização imobiliária. “É uma obra importante e que traz benefícios a toda a comunidade”, avalia Arrosi.