COTIDIANO

Formação com professores aborda a alfabetização para alunos de quartos anos em Foz

30 de maio de 2022 às 15:00
Publicidade

O processo de ensino e aprendizagem no período de pós-pandemia exige das escolas e dos professores novas ferramentas e atividades que promovam o desenvolvimento das crianças. Para atender essas demandas e melhorar a aprendizagem dos alunos, a Secretaria Municipal da Educação promove nesta segunda-feira (30) mais uma formação com professores – desta vez, educadores dos quartos anos das 50 escolas municipais.

O principal objetivo, conforme explicou a diretora de Ensino Fundamental, Eliziane Diesel, é aperfeiçoar os conteúdos do ano regular e minimizar os impactos deixados pela pandemia no processo de alfabetização desses alunos. “Estes estudantes estavam no segundo ano quando a pandemia chegou, em plena fase de alfabetização. Foram quase dois anos com atividades remotas e sabemos que nem todas as famílias conseguiram dar a atenção e o suporte necessário”, explicou.

De acordo com a Secretaria da Educação, cerca 18% dos alunos dos quartos do Ensino Fundamental apresentaram dificuldades na leitura, escrita e interpretação de texto, conforme análise da equipe técnica e a avaliação diagnóstica aplicada nas escolas.

“Temos hoje uma equipe especializada que realiza o trabalho de visitas nas escolas. Eles identificam as necessidades dos professores e alunos e trazem as sugestões para que possamos organizar os temas das formações”, acrescentou.

Pós-pandemia

Com a demanda identificada, a Secretaria da Educação deu início às formações com estes professores, com intuito de oportunizar a alfabetização destes alunos e contemplar da mesma forma os que já estão alfabetizados.

“A ideia que trazemos hoje aos professores é como desenvolver atividades que promovam a alfabetização, a leitura e a compreensão daquilo que se lê junto com o processo de aquisição de novos conhecimentos que são inerentes ao quarto ano”, explica a coordenadora da equipe de formação, Neusa Maria Antunes. “A partir de encontros como esse, os professores tem mais possibilidades de trabalho pedagógico. Eles saem daqui com atividades que oportunizam todos os alunos dentro do conteúdo planejado”, reforçou.

Vivências

Durante a formação, os professores também fazem o papel do aluno, uma forma utilizada pela equipe da Smed para melhor compreensão das necessidades. “Nós consideramos que a vivência é extremamente importante para que os professores possam antecipar dificuldades que venham a surgir em sala de aula, entender o que o aluno precisa e o que ele já domina e pode ser avançado”, disse a coordenadora. Os educadores puderam ainda compartilhar ideias e sugestões de métodos aplicados em salas de aula e que contribuem para o processo de escrita e leitura dos alunos.

A formação aconteceu hoje pela manhã na sede da Smed, no complexo Bordin, e a tarde um outro grupo de professores participa do encontro.

Assessoria

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE