O estagiário do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) de 19 anos que foi preso na noite de quarta-feira (15) pela Polícia Federal furtava equipamentos do órgão e os vendia na internet desde dezembro de 2018. De acordo com a PF, ele confessou o crime.

O rapaz foi preso após uma denúncia feita por funcionários no INSS sobre o desaparecimento de computadores. Durante a investigação, anúncios de venda de equipamentos similares foram encontrados em um site. Após agendar um encontro com o vendedor, a PF confirmou serem os computadores do INSS e o rapaz foi preso. Na casa dele havia mais dois notebooks e pentes de memória, também furtados no INSS.

O rapaz é estudante de Informática em uma faculdade de Cascavel e agia sozinho. A PF tenta agora recuperar os objetos já vendidos.

De acordo com o delegado-chefe da PF de Cascavel, Marco Smith, o jovem vai responder por peculato, desvio de objeto de órgão público, que tem pena de 2 a 12 anos de prisão. Mas vale ressaltar que cada objeto furtado é considerado um crime, ou seja, todos os furtos devem ser somados.

Veja a entrevista com o delegado-chefe da PF de Cascavel, Marco Smith: