Em reunião on-line nessa sexta-feira (10) com diretoras e diretores das 50 escolas e 41 CMEIs (Centros Municipais de Educação Infantil), a Secretaria Municipal da Educação de Foz do Iguaçu repassou todas as informações e orientações sobre o retorno presencial de 100% dos alunos. Nas instituições de ensino da Rede Municipal, o retorno será gradativo: no dia 20 de setembro para alunos dos 4º e 5º anos do Ensino Fundamental e Infantil 4 e 5 da Educação Infantil, e no dia 27 de setembro para alunos dos 1º, 2º, 3º anos do Ensino Fundamental e Maternal II da Educação Infantil.

Com a volta do ensino 100% presencial, as atividades remotas serão enviadas apenas para estudantes com comorbidades devidamente comprovadas. Neste caso, os pais deverão apresentar um laudo médico à instituição de ensino.

“Estamos tranquilos para fazer este retorno, com o parecer da Secretaria da Saúde, Vigilância Epidemiológica e também passamos todas as informações ao Ministério Público e explicamos a necessidade de recuperar estes conteúdos. O intuito é fazer este retorno de forma segura, assim como aconteceu nas etapas anteriores”, disse a secretária da educação, Maria Justina da Silva.

Organização

Apesar de o município autorizar o retorno de 100% das atividades presenciais na próxima segunda-feira (13) para as instituições públicas e privadas, a Secretaria da Educação optou pelo dia 20 para que as unidades escolares tenham tempo de conversar com as famílias, reorganizar as salas de aula, refeitórios e para que a pasta possa reorganizar o fluxo de distribuição das merendas. O retorno do Maternal I e turmas do berçário deve ocorrer somente a partir de outubro, com a contratação de novos professores e secretários, via processo seletivo.

Durante a reunião, a secretária reforçou as medidas de prevenção à covid-19, como o distanciamento, o uso obrigatório de máscara e a higienização das mãos com álcool em gel. “Chegou a hora de voltarmos com todos nossos alunos, mas para mantermos a segurança os protocolos devem ser mantidos”, afirmou.

As diretoras também foram orientadas a manter um bom diálogo com as famílias, especialmente aquelas que mantêm os filhos no ensino remoto. “Não haverá mais a opção do remoto, apenas para estudantes com comorbidades comprovadas. Os pais precisarão entender a importância de a criança frequentar a escola, por isso este tempo, para que as conversas aconteçam de maneira tranquila”, explicou Justina.

Os alunos que não comparecerem nas datas estabelecidas às escolas ou CMEIS receberão faltas e os casos poderão ser levados ao Conselho Tutelar.

Cenário Epidemiológico

A decisão sobre o fim do modelo híbrido e o retorno de 100% dos alunos deve-se ao cenário epidemiológico do município, que apresenta queda no número de casos, óbitos e internações pela doença, além do avanço na cobertura vacinal, com 100% da população adulta com a primeira dose e 49,7% com a segunda dose.

Desde o retorno das aulas presenciais na rede municipal, seis crianças e três professoras foram infectadas com a covid-19. Todos os casos, segundo a Vigilância Epidemiológica, não apresentaram relação com a escola, ou seja, foram transmissões que ocorreram dentro do núcleo familiar.

As aulas presenciais na rede municipal de ensino foram retomadas em maio para cinco escolas, que realizaram uma espécie de projeto-piloto. Em 28 de junho, iniciou-se um cronograma de retorno gradativo dos alunos do ensino fundamental e turmas de Infantil 4 e 5 dos CMEIs.