Dólar renova recorde e fecha a R$ 5,84

A moeda chegou a R$ 5,876, mas fechou o dia com alta de 2,51%, valendo R$ 5,845.

São Paulo – Após o corte da taxa Selic, de 3,75% para 3%, e a aprovação do socorro a estados e municípios com economia fiscal reduzida, o dólar registrou novos recordes nominais. A moeda chegou a R$ 5,876, mas fechou o dia com alta de 2,51%, valendo R$ 5,845. Na Bolsa, o Ibovespa (índice de referência da B3) cai 0,53%, aos 78.642 pontos.

Quando usar máscara de pano

Na sessão, a autoridade colocou US$ 500 milhões no mercado por meio de leilão de swap cambial (venda de dólar no mercado futuro).

A relação entre a redução da Selic e alta do dólar se dá por conta da falta de atratividade na operação conhecida como carry trade. Neste sistema, investidores tomam empréstimos em países com juros baixos ou até negativos para investir em títulos públicos de nações com juros elevados, na busca por rentabilidade alta e risco baixo.

Com a queda dos juros no Brasil, esse tipo de operação perde atratividade.

Além disso, diante das incertezas econômicas geradas pela pandemia do novo coronavírus, investidores têm comprado dólares, o que contribuiu para o avanço da cotação da moeda nas últimas semanas.

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

13 − oito =