Cuíca é condenado a 21 anos de prisão por morte de jovem em Matelândia

Depois de quase oito horas, o julgamento do caso Igor Feriato terminou no fim da tarde de quinta-feira (13) no Fórum de Matelândia. O júri popular presidido pelo juiz Rodrigo Duvalcondenou o réu José Barbosa Macedo, o Cuíca, a 21 anos de prisão pelo homicídio do engenheiro elétrico Igor Feriato. Ainda cabe recurso.

brde1

Conforme o laudo da polícia, o jovem de 27 anos foi morto com dois tiros de calibre 38 no dia 12 de maio de 2016. Ele foi encontrado morto na Linha Alegre, na área rural de Matelândia.

De acordo com o advogado de acusação, Antônio Carlos Brandão, o réu foi condenado pelo crime de homicídio qualificado por recurso que impossibilitou a defesa da vítima. “O Igor não teve possibilidade de se defender. Todos os argumentos da defesa foram rebatidos pela acusação. Nós conseguimos provar para o corpo de jurados que, pela dinâmica do local do crime e pela posição no banco detrás em que o acusado disse que estava dentro do carro do Igor, ele foi o executor do crime”, explica Brandão.

A mãe de Igor, Tânia Maria Feriato, acompanhou todo o julgamento. “Agradeço o desempenho da polícia diante das investigações, do Ministério Público, da Cooperativa Lar, dos amigos e da população de Matelândia. O júri me trouxe a tranquilidade de saber que outras mães não passarão por isso pelas mãos desse réu. Minha dor é constante, mas a Justiça foi correta em suas decisões diante dos fatos”.

José Barbosa Macedo, o Cuíca, está preso em Foz do Iguaçu e poderá recorrer da sentença.


Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação