Faleceu no início da manhã desta segunda-feira (6) o presidente do Sindicato Rural de Toledo, Nelson Paludo, em decorrência de complicações da covid-19. Ele estava internado desde 4 de junho, sendo transferido para a UTI no dia 8. Depois de uma traqueostomia, Paludo apresentava um quadro de estabilidade até a última sexta, quando seu quadro se agravou e ele não resistiu. Paludo tinha 65 anos, casado com Clarice Gaffuri Paludo e deixa dois filhos: Juliano e Jéssica, além de netos gêmeos.

Paludo presidiu o Sindicato Rural de Toledo durante mais de 25 anos e era considerado uma das mais influentes lideranças rurais do Paraná. Atuou como vice-presidente da Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná). Era integrante da Comissão Técnica de Grãos, Fibras e Oleaginosas do Estado, membro do Conselho de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente de Toledo, entre outras funções.

Foi um dos principais nomes na discussão para aprovação do novo Código Florestal Brasileiro, organizando em Toledo uma das maiores audiências públicas do País, com a presença de mais de 2 mil pessoas.

Ao longo de sua trajetória, Nelson Pauldo contribuiu para organização do Plano Safra e do Seguro Rural e lutou pelo Centro Agropecuário em Toledo, tendo conseguido entregar a estrutura do sindicato no futuro local.

PERDA

O Sistema Faep/Senar-PR lamentou a morte de Nelson Paludo: “Uma das principais lideranças do agronegócio do Paraná, com forte atuação na região Oeste. Ao longo da sua trajetória, são inúmeras ações e conquistas em prol do setor e, principalmente, dos produtores rurais paranaenses”.

A Associação Paranaense de Suinocultores e a Associação de Criadores de Suínos do Oeste do Paraná reconheceram a liderança de Nelson Paludo e “sua contribuição ao setor produtivo do Paraná”, que foram, segundo nota, “determinantes para as principais conquistas dos produtores de Toledo e região”. “O extenso currículo do Sr. Nelson Paludo na luta sindical, em busca das soluções às demandas dos produtores rural, em suas respectivas atividades no campo, dentro os quais, os suinocultores de Toledo e região, inclui as qualidades de uma pessoa de bem e que marcam a personalidade de quem sempre apoiou a agropecuária do Paraná”, afirmam as entidades.