Maringá, na região norte do Paraná, bateu recorde de novos casos conhecidos em 24 horas, com 609 novos diagnósticos, na terça-feira (11), segundo dados da prefeitura. Além disso, a enfermaria da rede pública de saúde reservada para a doença está lotada.

O número de confirmações é o maior desde 10 de março de 2021, quando 556 novos casos foram registrados. Os dados do boletim de terça representam um teste positivo a cada 2 minutos e 20 segundos.

Desde a confirmação dos primeiros casos de Covid-19 em Maringá, em 18 de março de 2020, a maior média móvel era de 332 infecções diárias. A marca foi atingida em 14 de dezembro de 2020.

O número de novos casos registrados na terça-feira é quase o total de infecções confirmadas em todo o mês de dezembro.

No último mês de 2021, a cidade somou 639 novos casos. Dezembro foi marcado por uma queda brusca nas ocorrências da doença na cidade. No dia 23 do mês passado, a média móvel de casos estava em 13,7 – a mais baixa desde 2 junho de 2020.

Desde o início da pandemia, Maringá soma 70.770 casos da doença, sendo que 66.690 pacientes se recuperaram. A cidade soma 1.618 mortes desde o início da pandemia.

Ocupação de enfermarias cresce

 

O número de pacientes nas enfermarias exclusivas para tratamento de casos de Covid-19, em Maringá, cresceu 514% entre 23 de dezembro e terça-feira (11).

As internações subiram de sete para 36, no período. O número de hospitalizados nas enfermarias é o mais alto desde 23 de novembro, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde.

Em igual período, o número de internações nas UTIs caiu – eram dez pacientes com Covid na rede pública de Maringá em 23 de dezembro, e nove na terça-feira.

Casos ativos

 

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, com a disparada de diagnósticos, Maringá chegou a 2.462 casos ativos da doença. Em 22 de dezembro eram 109. É o maior número de moradores com a doença desde 9 de julho do ano passado.

Vacinação

 

Maringá vacinou, até a tarde de terça-feira, 356.460 moradores com ao menos uma dose dos imunizantes contra o novo coronavírus.

O número corresponde a 81,6% da população. Já o total de pessoas que concluíram o ciclo de imunização é de 331.138 – número equivalente a 75,8% dos moradores.

Também foram aplicadas 92.194 doses de reforço – o que atinge 21% dos habitantes. A cidade tem 436.472 moradores, segundo projeção do IBGE divulgada ano passado.

(g1 Paraná)