Mercedes – O Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu tem duas comissões ativas que estão trabalhando na implantação das conhecidas usinas de asfalto. Por intermédio de convênio com a Itaipu Binacional serão adquiridos dois “kits asfálticos”, destinados a atender 13 municípios da região lindeira. A previsão é de que haja um investimento de aproximadamente R$ 4,4 milhões.

Nesta semana a comissão de aquisição de insumos e operacionalização se reuniu para definir os detalhes sobre o funcionamento das usinas, como serão operacionalizadas e como será feita a aquisição dos produtos utilizados para o asfaltamento. “As duas comissões trabalham no intuito de alinhar as tratativas. Os pedidos para a compra dos kits foram assinados no início de agosto”, frisa a presidente do Conselho dos Lindeiros, Cleci Loffi.

Para a compra dos kits a comissão teve como integrantes os municípios de Guaíra, Marechal Cândido Rondon e Mercedes. O estudo da operacionalização e aquisição de insumos para usinas asfálticas conta com uma segunda comissão composta por Guaíra, Itaipulândia e Santa Helena.

O convênio prevê o asfaltamento de 84 quilômetros de estradas rurais, onde já há calçamento, no período de três anos, nos 13 municípios. “Os estudos irão indicar a melhor maneira de desenvolver o projeto”, frisa o membro da comissão de aquisição de insumos e operacionalização, Edson Wamms.

Os municípios investirão mais R$ 4,4 milhões para a execução das obras, segundo Wamms. “Deve-se mandar aos gestores municipais um pedido de convênio. Cada município fica responsável pelos projetos e fiscalização dos serviços. O Conselho dos Lindeiros contratará uma empresa que ficará responsável por toda a operacionalização como execução e mão de obra”, conclui.

Exemplos foram buscados com outros consórcios, caso do Cindepar (Consórcio Público Intermunicipal de Inovação e Desenvolvimento do Estado do Paraná). O que pode ser constatado, conforme Edson Wamms, é que o preço será inferior ao que geralmente é contratado, fator que contribuirá para a execução das obras de asfaltamento no interior, ou seja, nas estradas rurais, com maior economia.