Cascavel – A chuva veio mais intensa que o esperado, contudo, a situação hídrica da região ainda é delicada. Por causa da estiagem prolongada, a mais severa dos últimos 90 anos, a Sanepar reabriu o registro do Lago Municipal de Cascavel no dia 2 de agosto para o abastecimento da cidade.

Conforme a Sanepar, as chuvas de 2020 e 2021 estão abaixo da média histórica. Em Cascavel, de 2000 a 2019, a média é de 1,3 mil milímetros para o período de janeiro a agosto. Ano passado, foram registrados 896mm no mesmo período e, em 2021, a precipitação acumulada até o início de agosto é de 768mm.

Ou seja, além de 2021 ser o ano com o menor índice de chuva desde 2017, o déficit hídrico acumulado deste ano é de 40%, ou, 532 milímetros.

Em 2019, de janeiro a agosto, foram registrados 1.159mm, e, em 2018, quando a estiagem ainda não castigava a região, o acumulado foi de 1.544 mm. Em 2017, foram 1.389mm.

Mas se não resolve o problema maior, sem dúvida, a chuva ajuda a elevar momentaneamente o nível dos rios. Além disso, reduz o consumo de água, cuja média do período é de 66 milhões de litros/dia em Cascavel.

Na madrugada e na manhã de ontem (14) choveu 26,8mm em Cascavel, de acordo com o Cascavel Tempo. De acordo com a Sanepar, foram registrados 28mm de chuva na captação da Estação do Rio Cascavel.

 

Área rural

Apesar das dificuldades na área urbana, é a área rural que mais sofre com a crise hídrica. De acordo com o presidente do Sindicato Rural Patronal de Cascavel, Paulo Orso, 2 mil milímetros de chuva deixaram de cair nos últimos três anos.

Segundo ele, essa falta de chuva afeta principalmente o desenvolvimento das plantações, mas os animais também sofrem com a escassez do recurso.

A saída é encontrar, com o Poder Público, soluções para levar água até o campo, já que algumas propriedades não têm água e outras estão no limite.

 

Poços artesianos

Para amenizar os problemas, a Prefeitura de Cascavel vai investir R$ 2,4 milhões para perfurar novos poços artesianos na área rural.

Conforme a Secretaria de Agricultura, no fim de 2020, foram perfurados 15 poços artesianos na área rural, em parceria entre prefeitura, IAT (Instituto Água e Terra) e Sanepar, contudo, foi encontrada água em apenas nove.

Por conta disso, o Município vai abrir novos poços. A empresa contratada deverá começar os trabalhos pelas comunidades que mais precisam até o fim de setembro. Até lá, a prefeitura auxilia o abastecimento de água dos produtores com caminhões-pipa.

Leia também: