Centro FAG forma 40 novos médicos em cerimônia drive-thru

FAG - Formandos receberam a graduação de dentro dos seus carros

Mesmo não seguindo a tradição de cerimônia, a colação de grau da Turma 9 de Medicina do Centro FAG foi emocionante. Novos 40 médicos estão formados para somar forças no trabalho em prol da saúde. A solenidade aconteceu na gran via do campus, na sexta-feira (24), e, como as autoridades sanitárias recomendam para evitar a aglomeração, os formandos colaram grau de dentro dos seus carros, acompanhados por familiares, todos usando máscaras, visando à prevenção do contágio por coronavírus.

Quando usar máscara de pano

A ideia de organizar uma colação de grau no formato drive-thru foi do reitor Assis Gurgacz, que esteve presente no câmpus e ficou em um estúdio acompanhando tudo ao vivo e parabenizando um por um dos médicos, via telão. “Não queríamos simplesmente entregar o diploma. Tinha que ser marcante, mesmo que simples. Então, o nosso reitor teve essa ideia. Foi muito emocionante, e o nosso desejo é que eles façam a diferença em um cenário que precisamos tanto dos seus serviços, que eles mostrem a qualidade da formação que tiveram”, declara a pró-reitora administrativa, Jaqueline Gurgacz Ferreira, que presidiu a cerimônia e fez a outorga de grau.

Na cerimônia, os formandos fizeram o juramento. Também foi entregue a láurea acadêmica para Larissa Silva, que obteve a maior média de nota do curso. A turma escolheu homenagear como paraninfo o professor Lísias de Araújo Tomé; como patrono, Rodrigo Nicácio; e, como nome de turma, Diogo Cunha Lacerda. “Eles estão empenhados em ajudar. Este momento nos lembra da nossa época, das nossas conquistas. Nos transferimos para dentro do coração deles e de seus familiares, que tanto batalharam para conquistar esse sonho”, reflete o paraninfo Lísias Tomé.

O coordenador de Medicina, dr. Rui Almeida, que prestigiou seus alunos, enfatiza que os profissionais estão bem preparados: “A formatura foi antecipada e autorizada pelo Ministério da Educação mediante a conclusão de 75% das atividades de internato. Eles terminariam no fim deste mês. Todos têm capacidade para exercer a Medicina e podem ajudar a comunidade”.

A médica recém-formada Ana Clara Alexandre define o momento. “É uma maneira inusitada de receber o diploma. Poderemos comemorar com festa depois, quando a pandemia passar. Agora queremos poder trabalhar e ajudar a saúde brasileira”, comemora Ana, que estava acompanhada dos pais e da irmã.

Demais familiares e amigos puderam acompanhar a colação de grau de suas casas. Tudo foi transmitido ao vivo através do Facebook do Centro FAG e pela Catve.

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

nove + nove =