Centro de Apoio ao Surdo não passou de uma cerimônia

De acordo com a direção do colégio, o motivo pelo qual o centro não está funcionando não foi informado.

Reportagem: Milena Lemes

Em janeiro deste ano, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte entregou o CAS (Centro de Apoio ao Surdo), destinado à capitação de profissionais da área, como tradutores de intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e professores bilíngues surdos e ouvintes.

Anunciado em novembro do ano passado, o centro deveria funcionar em uma sala no Colégio Estadual Itagiba Fortunato, no Bairro Brasília, e, além de Cascavel, atenderia os NREs (Núcleos Regionais de Educação) de Assis Chateaubriand, Foz do Iguaçu e Toledo, totalizando uma população surda de 2.731 pessoas.

Dez meses depois, o CAS nunca chegou a funcionar. Na prática, jamais passou da cerimônia de entrega.

De acordo com a direção do colégio, o motivo pelo qual o centro não está funcionando não foi informado.

Importante

Clescir Gonzatto é professora de letras e Libras e trabalha para o Estado na área de educação especial como intérprete e guia. Para ela, a formação ofertada pelo CAS é essencial para os profissionais que atuam na área. “É fundamental para avaliar a qualificação desses novos profissionais que estão iniciando agora na área de educação especial ou trabalho de docência bilíngue, com a comunidade surda”.

Hoje os profissionais que precisam de capitação devem se deslocar até Guarapuava. O Estado avalia qual é o nível de horas em língua de sinais para que o futuro profissional possa trabalhar.

Clescir lamenta que o centro não esteja funcionando em Cascavel. “O CAS é a base para avaliar o nível de conhecimento do intérprete ou do instrutor de Libras, para que ele possa trabalhar sem prejuízos para o estudante”.

Sem condições

A Secretaria da Educação do Paraná informou que o CAS foi lançado, mas sem condições de funcionar: “O centro foi lançado pela gestão anterior [Governo Cida Borghetti], porém sem infraestrutura adequada e previsão orçamentária para a implementação das atividades em 2019”.

Ainda de acordo com a pasta, um grupo de trabalho do Departamento de Educação Especial, em conjunto com o Grupo de Recursos Humanos Setorial, realiza estudo de reorganização para viabilizar o funcionamento do CAS.

A Secretaria foi questionada se existe uma previsão para que o centro passe a funcionar em Cascavel, porém não houve resposta.

 

 



Fale com a Redação

catorze − nove =