Cascavel – O município de Cascavel, que completou 70 anos no último dia 14, tem se destacado no cenário nacional (considerada a 4ª cidade do Brasil) pelos avanços no planejamento urbano, no desenvolvimento econômico com geração de empregos e, principalmente, pela força do agronegócio.

Entretanto, um dos fatores que também tem contribuído para o destaque da Capital do Oeste no cenário regional e estadual, são os projetos socais, desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Assistência Social em parceria com o conjunto da sociedade. O secretário de Assistência Social, Hudson Moreschi, disse que a demanda por atendimento tem aumentado, como por exemplo, a procura pelos restaurantes populares, principalmente, com a instalação de novas unidades nos bairros Santa Cruz e Cascavel Velho. “Em 2020 foram produzidas 110 mil refeições. Em 2021, até o mês de outubro, já passamos de 160 mil refeições”, conta.

 

Família Acolhedora

Outro programa que tem colhido bons frutos é o Família Acolhedora, que está com inscrições abertas até o dia 22 de novembro. Criado em 2006, o programa se tornou um modelo no acolhimento de crianças e adolescentes que, por algum motivo, foram afastadas da família biológica.

Cada família acolhedora recebe um valor mensal de cerca de R$ 1 mil como bolsa-auxílio por criança ou adolescente acolhido. Em caso de crianças com deficiência, o valor é de R$ 1,5 mil. No dia 22, após o encerramento das inscrições, começa o trabalho de formação das novas famílias, processo que seguirá até o dia 27 de novembro. “Quando a gente fala de acolhimento é diferente de adoção. A Família Acolhedora tem um papel importante de ficar com a criança ou adolescente durante um período necessário, até que essa pessoa seja reintegrada à família”, explica o secretário.

Hudson relatou que atualmente o programa atende 300 crianças e adolescentes que estão acolhidos por cerca de 200 famílias. Para estar habilitado a acolher, a família precisa se inscrever no programa, participar de um curso de formação, quando são repassadas regras e atribuições da família acolhedora, que passar um rigoroso processo de seleção. O curso de formação prepara a família com os instrumentos necessário para acolher e apoiar a criança e o adolescente neste momento de dificuldade familiar.

As pessoas interessadas em participar do programa devem entrar em contato pelos telefones (45) 3902-1747 e (45) 3902-1749, ou ir até a Família Acolhedora, na Rua Porto Alegre, nº 557, no Bairro Pioneiros Catarinenses.

 

Cascavel Caridoso

O Programa Cascavel Caridoso, criado em maio de 2020, logo após a pandemia ser decretada oficialmente pela OMS (Organização Mundial da Saúde), chegou com objetivo de garantir visando o acolhimento de idosos e adultos com deficiência, atendendo também a garantia do direito do idoso e de pessoas com deficiência, estabelecidos por lei federal.

Em Cascavel, os idosos ou pessoas com deficiência que se encontram em situação de abandono ou outras violências e são atendidos pelos Creas (Centros de Referência Especializados em Assistência Social).

O Município já contava com uma Rede de Acolhimento Institucional, que atende a esse público. Integram a rede a República para Idosos, o Abrigo São Vicente de Paulo e a Residência Inclusiva. A implantação do Acolhimento Familiar ampliou as possibilidades de proteção àqueles que necessitam de cuidado e proteção.

Conforme o secretário Hudson Moreschi, apesar de pouco tempo implantado na cidade, o projeto já beneficiou 20 pessoas que estão acolhidas por 15 famílias, considerando que alguns acolhidos são irmãos ou casais. Quando chegam as demandas de necessidade deste tipo de acolhimento, as equipes do Creas são acionadas e o trabalho é realizado para restabelecer o vínculo, não sendo sempre necessário o acolhimento imediato.

“Na maioria dos casos nossas equipes conseguem promover o fortalecimento do vínculo familiar deste público, mas infelizmente muitos precisam de cuidados em espaço adequado e poderemos com esse programa oportunizar a possibilidade da convivência em uma família e ter uma experiência de amor, de afeto, de cuidado”, explica Maira Cabreira, gerente da Proteção Especial da Seaso, completando que as famílias acolhedoras recebem uma bolsa-auxílio mensal de R$ 1.045,00 mensalmente. “Não é um vínculo empregatício, mas, sim, uma ação voluntária. É um trabalho que consiste em dar amor àquelas pessoas que mais necessitam de cuidados na vida adulta”.

As famílias interessadas em participar do Cascavel Caridoso podem fazer contato pelo telefone (45) 99133-3396.

(Redação – Paulo Eduardo)

 

 

FOTOS: Getty Imagens