O convênio entre o Consamu (Consórcio Intermunicipal Samu Oeste) e a Secretaria de Saúde de Cascavel para a gestão compartilhada da UPA Tancredo completou um ano e refletiu em mudanças que são avaliadas de forma positiva pelo poder público.

Embora ainda sejam comuns críticas de quem depende das UPAs, a Secretaria de Saúde afirma que alguns manejos internos permitiram atendimento mais humanizado e qualificado, proporcionando diminuição no tempo de espera para avaliação e condução dos casos de internamento.

“O tempo médio mensal de espera permanecia em torno de 4 a 6 horas, chegando a 12 horas em alguns dias. Hoje, a média de espera de atendimento é de duas horas, chegando a três horas em dias mais críticos”, afirma.

Entre as melhorias por meio da gestão compartilhada também é citada a possibilidade de deslocamento de servidores conforme demanda de UPAs. “Até agora tem sido satisfatório e a possibilidade de deslocamento dos servidores para as outras UPAs proporcionou melhora no atendimento”, acrescenta a secretaria.

Média diária

Desde o mês de maio a UPA Tancredo – antes destinada exclusivamente para o atendimento de crianças – passou a receber adultos socorridos por ambulâncias do Samu e do Siate. Já a UPA Veneza que, antes só atendia adultos, hoje conta com consultas pediátricas.

A Secretaria de Saúde afirma que a regularização de ambulância na unidade da Avenida Tancredo Neves diminuiu a demanda das outra duas UPAs.

Dessa forma, mais consultas puderam ser disponibilizadas. Na UPA Veneza a média de atendimentos diários passou de cerca de 210 para 320 e na UPA Brasília, de 180 atendimentos ao dia para 220.

Portas abertas

A expectativa da Prefeitura de Cascavel é de que a UPA Tancredo também passe a funcionar no regime de portas abertas. “No entanto, não está estabelecido um prazo para início do atendimento adulto de porta aberta na UPA Tancredo Neves. Apenas atendimento referenciado de ambulâncias”, ressalta a Secretaria de Saúde.