Ibema – O trabalho é o maior gerador de paz que existe. Por meio dele, o profissional conquista mais do que um salário: ele tem valorizada sua dignidade e alcança meios para tornar seus projetos e sonhos em realidade, embora demanda aptidão individual para o labor. É de olho nisso que o prefeito de Ibema, Adelar Arrosi (PSDB), dá ênfase à política de valorização ao trabalho no Município.

Uma das primeiras realizações de Adelar Arrosi na área, nesta sua terceira gestão como prefeito, foi criar a Agência de Empregos em Ibema. Desde que ela foi oficialmente constituída em janeiro de 2017, já somam 750 pessoas inseridas no mercado de trabalho com carteira assinada, 498 apenas em 2017. Em 2018, o número de trabalhadores colocados no mercado, por meio da agência, chegou a 252.

Agora, em 2019, a Agência de Empregos de Ibema está com 88 oportunidade disponíveis em aberto. Dessas, 65 são para auxiliar de produção disponibilizadas pelas Cooperativas Lar e Copacol – não contratam ex-funcionários; 20 são para serviços gerais (Sementes Condor); e outras três também para serviços gerais, abertas por uma serraria local.

Em que pese existirem casos pontuais de inaptidão explícita, motivadas principalmente pelo benefício social da fraterna mãezinha, vovozinha, ou até o das crianças, inaptidão cínica maquiada sob o álibi do desemprego como justificativa para o ócio, ou seja, quem quer realmente trabalhar, está trabalhando.

 

Capacitações

Um dos fatores que contribuem para a colocação de um número tão considerável de profissionais no mercado de trabalho está associado à oferta de cursos de qualificação e aperfeiçoamento. Todos são oferecidos gratuitamente, de acordo com o prefeito Adelar Arrosi.

Com contratação do Senai, em 2017 foram oferecidos cursos nas seguintes áreas: eletricidade automotivo, eletricidade predial e revestimento cerâmico, totalizando 96 pessoas com certificados de qualificação. Pelo Senac: técnicas em vendas, auxiliar de cozinha, aproveitamento de alimentos e preparo de pães e bolachas, alcançando outras 110 pessoas.

Já em 2018, a prefeitura contratou o Senac, que deu curso e treinamento de costura industrial e vestuário para outras 60 pessoas, qualificadas com certificados. Através do Bom Negócio Paraná, outros 30 participantes foram qualificados.

“Essas oportunidades de capacitação foram bancadas pelo Município, disponibilizadas gratuitamente aos trabalhadores, com instrutores capacitados. Todos que participaram receberam certificados”, informa o perfeito.

Conforme Adelar Arrosi, investir em qualificação e trabalho, se bem aproveitados pelas pessoas que realmente desejam trabalhar, é uma iniciativa de resgate da dignidade humana para o harmonioso desenvolvimento social e econômico de uma comunidade.