Acordo de leniência: Ecocataratas tem prejuízo histórico

Após uma longa sequência de resultados positivos, a Ecocataratas registrou prejuízo de R$ 201,352 milhões ano passado. O número é fruto do lançamento de R$ 250 milhões referentes ao acordo de leniência firmado com o MPF (Ministério Público Federal) para compensar reajustes tarifários abusivos e supressão de obras contratuais em troca de pagamento de propina.

Cascavel – Após uma longa sequência de resultados positivos, a Ecocataratas registrou em seu balanço de 2019 prejuízo de R$ 201,352 milhões. O número é fruto do lançamento da previsão de R$ 250 milhões referentes ao acordo de leniência firmado ano passado com o MPF (Ministério Público Federal) para compensar reajustes tarifários abusivos e supressão de obras contratuais em troca de pagamento de propina, conforme revelou a Operação Integração, um desdobramento da Lava Jato.

Quando usar máscara de pano

O resultado negativo é o primeiro desde 2011, dado mais antigo disponível no site da Ecocotaratas (veja tabela). O contrato de concessão teve início em 1998 e corresponde ao lote 3, no trecho da BR-277 entre Foz do Iguaçu a Candói.

Se não tivesse fechado o acordo, a concessionária teria registrado lucro de R$ 48,648 milhões. No ano passado, houve aumento de 1,1% no número de veículos que passaram as cancelas, totalizando 26,968 milhões, “devido ao aumento do fluxo de exportação de grãos na região, do turismo de compras no Paraguai e devido à indução do tráfego decorrente da redução tarifária”, cita o relatório da administração.

Como consequência, a receita fechou em R$ 347,952 milhões no ano, alta de 8,7% em relação a 2018.

O acordo

Os R$ 250 milhões referentes ao acordo de leniência fazem parte de um pacote de R$ 400 milhões firmado com a Ecorodovias, que administra a Ecocataratas e a Ecovia Caminho do Mar. Esse total inclui ainda multa de R$ 30 milhões, que deve ser pago pela própria Ecorodovias.

Do valor da Ecocataratas, R$ 120 milhões são devolução tarifária. Para isso, ficou acordado desconto de 30% das tarifas “por pelo menos um ano”, o qual teve início dia 1º de outubro. Até 29 de fevereiro, o desconto representava R$ 47,6 milhões (uma média de menos de R$ 10 milhões por mês), restando ainda R$ 72,4 milhões. Se mantida a média dos cinco meses, o valor corresponderia a mais sete meses, terminando em setembro. Contudo, houve significativa queda no movimento nas rodovias em função da paralisação do transporte rodoviário de passageiros e dos veículos de passeio, devido à quarentena adotada por diversos municípios.

Já os R$ 130 milhões devem ser gastos na readequação do Trevo Cataratas, em Cascavel, cujo orçamento ainda não foi apresentado pela Ecocataratas. Segundo a concessionária, ela tem até a metade do ano para concluir a fase de projetos e orçamentos. A expectativa é de que sobre parte desse dinheiro para ser aplicada em terceiras pistas ao longo da BR-277 no trecho concessionado.

Resultados financeiros da Ecocataratas

Ano   Valor

2019 -R$ 201.352.000

2018 R$ 32.419.000

2017 R$ 60.820.000

2016 R$ 56.145.000

2015 R$ 56.979.000

2014 R$ 42.877.000

2013 R$ 43.429.000

2012 R$ 36.929.000

2011 R$ 30.324.000

Valores correntes

Clique aqui e veja as demonstrações financeiras anuais completas de 2019.

 

 

 

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

15 − um =