O Centro Universitário de Cascavel – Univel é uma das instituições parceiras do Projeto Radar de Inovação, que tem como objetivo estimular a criatividade e promover um significativo aumento das atividades de inovação, o incremento da competitividade das empresas e da economia do Município de Cascavel, apoiando projetos de inovação associados a oportunidades de mercado.

Na primeira fase, todos os inscritos receberam o auxílio de mentores renomados do ecossistema nacional para se transformarem em negócios. Na segunda fase, aconteceu o Demoday, no qual os participantes apresentaram os seus projetos e as 20 ideias mais bem colocadas, foram selecionadas para receberem R$ 20 mil de investimento, além de materiais e capacitações coletivas e individuais com a empresa especializada Mackwave.

Um dos projetos selecionados, foi desenvolvido por acadêmicas do curso de Medicina Veterinária da Univel, Daiana Garbin e Viviana A. de Oliveira Diniz. O projeto trata-se da criação de um software e aplicativo para gestão em bovinocultura de leite, com sistema integrado que vai unir o produtor rural e os laticínios, além de ser uma plataforma bem completa, com banco de dados.

De acordo com a acadêmica Daiana Garbin, participar do Radar Inovação e ficar entre os 20 melhores, foi uma experiência de grande importância. “Estamos bem no início, mas conseguimos chegar na segunda fase, o que é maravilhoso. Das 72 ideias, nós ficamos em 7°, isso mostra que a gente precisa acreditar, correr atrás que os resultados aparecem. Além dos 20 mil para ajudar nos custos iniciais, o projeto vem com o auxílio de vários setores, como a Acic, Fundetec, investidores e universidades, dentre elas a Univel. Além de receber ajuda em todo o processo de montagem, participar do projeto é uma oportunidade de desenvolver networking”, ressalta Daiana.

 

 

Acadêmicos da Univel projetaram e produziram cama ortostática para Apae

 

A preocupação com o projeto e desenvolvimento de novos produtos exige cada vez mais a aproximação do profissional às reais necessidades da sociedade ou do mercado. E esse foi o ponto inicial para os alunos do sexto período do curso de Engenharia de Produção do Centro Universitário de Cascavel – Univel, na disciplina de extensão de Projeto e Desenvolvimento de Produto e UX.

Em conjunto com os professores do curso de Fisioterapia que fazem atendimentos na Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Cascavel, os acadêmicos de Engenharia de Produção puderam entender a importância da cama ortostática no tratamento fisioterápico das crianças atendidas. Nos seus atendimentos na Apae os alunos do curso de fisioterapia estimulam as crianças a uma série de exercícios e movimentos, a partir de diferentes equipamentos.

Um deles é a cama ortostática, que tem como objetivo auxiliar o usuário a permanecer na posição vertical (ou seja, em pé). Trata-se de uma maca adaptada com amarras, que são utilizadas para segurar o corpo do paciente durante sua mudança de posição horizontal para vertical, fornecendo um apoio mecânico, estimulando a posição vertical mediante situações em que eles não são capazes de manter essa postura sozinhos.

A Apae conta com um equipamento desses para os atendimentos, que é de alto custo. Assim, os futuros Engenheiros de Produção colocaram a mão na massa para ajudar quem precisa. Os acadêmicos desenvolveram todo o projeto informacional do produto, o projeto conceitual e detalhado e produziram a cama ortostática. As atividades foram orientadas pela Professora da disciplina, Camila Reis e teve apoio de outros professores do curso: o Prof. Ademiro Rocha, da disciplina de Processos Mecânicos, o Prof. Enerdan Dalponte, que auxiliou na parte de projeto detalhado do produto, e o Técnico de laboratório Vitor, que auxiliou na orientação do uso dos equipamentos de fabricação. A participação da Prof. Daiane do curso de fisioterapia também foi fundamental para a compreensão dos alunos sobre a necessidade das crianças que necessitam do uso da cama ortostática.

O projeto ainda envolveu empresas da região e conhecidos dos alunos que se sensibilizaram e colaboraram com a doação de materiais utilizados na fabricação: Indústria Mecânica Volpato, Diferral Distribuidora de Ferro e Aço, Casa da Borracha, Estofaria Appi, Maxispuma Colchões, Araupel. Eng⁰ Móveis, Macerol, Gol Chapeação e Daniel Appi. Com os materiais em mãos os alunos executaram todas as etapas de fabricação, desde cortes, soldas, pinturas, forração e montagem.

Para a professora Camila Reis, o contato com a prática é de extrema importância na formação dos alunos. “Foi uma experiência única onde os alunos desenvolveram as habilidades e competências que se espera de um Engenheiro de Produção enquanto puderam olhar adiante e ajudar quem precisa”.

Para Janete Francisca, mãe da Heloísa, a cama ortostática vai fazer a diferença no desenvolvimento da filha. “A sensação de receber a cama é maravilhosa, para a Heloísa vai ser muito importante, porque vai ajudar a fortalecer a musculatura e é essencial para o desenvolvimento dela. O sentimento que estou sentindo agora é gratidão, pelos alunos, pela Univel e por todos que ajudaram”.